Padre defende uso da maconha para fins medicinais e provoca revolta No sábado (10), um padre foi hostilizado em um ato que pedia a sua expulsão da Igreja. Desde a realização 36ª Semana da Juventude, no início deste mês, o religioso conhecido como Ticão passou a receber ameaças de devotos católicos. Ele participou de rodas de conversa e palestra sobre a cannabis medicinal, além de debater direitos sexuais e direitos reprodutivos.

A organização “Católicas pelo Direito de Decidir”, de orientação feminista, disse ao jornal Folha de S. Paulo que os ataques foram feitos por grupos extremistas da Igreja Católica.

Um desses grupos, o “Apostolado Templário de Maria”, publicou em seu site e nas redes sociais: “Urgente! Grupo de feministas pró-aborto estará na Semana da Juventude em uma paróquia de São Miguel Paulista.”

O grupo Salve Roma também criticou o evento e foi contra os “rebeldes e desobedientes da paróquia”. “Os organizadores são hereges públicos e devem ser afastados pela Diocese de São Miguel Paulista por ‘FALTA GRAVE'”, dizia a postagem.

A Semana da Juventude foi organizada pelo grupo da comunidade Renovação Jovem da Paróquia São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo (SP).