Bilionário acusado de abusos sexuais é encontrado morto na prisão

O bilionário norte-americano Jeffrey Epstein, acusado de abuso sexual de menores, foi encontrado morto em uma prisão de Manhattan, em Nova Iorque, neste sábado (10).



Segundo autoridades, ele teria se enforcado. No final de julho, o magnata já havia sido encontrado semiconsciente, com marcas no pescoço e em posição fetal em sua cela. Após passar por tratamento em hospital, ele foi enviado de volta ao presídio.



Epstein estava detido na prisão de segurança máxima Manhattan MCC, a mesmo onde o traficante de drogas Joaquín “El Chapo” Guzmán passou dois anos e meio preso.



O bilionário era acusado de tráfico sexual de menores e de conspiração criminosa para traficar menores para explorá-los sexualmente, duas acusações passíveis de punição com um total de 45 anos de prisão.



Amigo íntimo de políticos, celebridades e atletas, Epstein tinha um conhecido evolvimento com o ex-presidente norte-americano Bill Clinton. Segundo uma reportagem da Fox News de 2016, documentos judiciais mostram que o ex-presidente dos EUA voou no avião de Epstein pelo menos 26 vezes entre 2002 e 2003, algumas vezes abandonando a proteção do serviço secreto.