Bancada Evangélica em Brasília publica nota de repúdio à campanha LGBT do Burger King

A campanha do Burger King que usa crianças para incentivar pais a incluírem a agenda LGBT na educação de seus filhos foi tema de uma nota de repúdio da Bancada Evangélica em Brasília. Após a repercussão ruim e boicote organizado por usuários nas redes sociais, o assunto chegou ao Congresso.

Em nota, a Frente Parlamentar Evangélica do Congresso Nacional reagiu à campanha ‘Como Explicar’, do Burger King, afirmando que a empresa “se utilizou da imagem, da inocência e da ingenuidade de nossas crianças para agredir valores bíblicos e eternos”. Além disso, o comunicado alerta para a proposta da campanha em “criar uma nova formatação familiar que afronta a Bíblia sagrada.”

Confira a nota na íntegra:

A Frente Parlamentar Evangélica no Congresso Nacional, vem a público, manifestar seu repúdio veemente à campanha publicitária da empresa Burger King Brasil, que se utilizou da imagem, da inocência e da ingenuidade de nossas crianças para agredir valores bíblicos e eternos com o intuito de confundir famílias.

A referida empresa propõe, ao agredir os princípios bíblicos e diferenças fisiológicas naturais, criar uma nova formatação familiar que afronta a Bíblia sagrada. Procuram assim, fazer com que o homem e a mulher não se diferenciem mais pelo sexo, mas sim pelo gênero.

Trata-se de uma tentativa covarde para corromper as famílias, confundir pais e interferir na formação de menores, atacando princípios morais e éticos que devem ser preservados.

A FPE continuará vigilante e não se calará frente a tentativas de ataques a nossa fé e valores!


O caso

A rede de fast-foods ‘Burger King’ chegou ao trend topics no Twitter, na última sexta-feira (25), depois que usuários defensores da família levantaram a #BurgerKingLixo. A revolta começou depois que a empresa lançou uma campanha publicitária com crianças para orientar os pais a explicarem o movimento LGBTQIA+ como algo natural.



Veja mais:

Cristãos boicotam Burger King por campanha LGBT com crianças

Pastores se manifestam contra campanha LGBT do Burger King