[VÍDEO] Polícia confirma morte de Lázaro Barbosa após 20 dias de buscas ao criminoso

O criminoso Lázaro Barbosa, de 32 anos, foi morto nesta segunda-feira (28), em Goiás, após 20 dias de uma megaoperação que envolveu mais de 270 policiais. Agentes tentaram efetuar a prisão, houve troca de tiros. Lázaro foi baleado e morto em confronto com a força-tarefa.

O diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, confirmou a morte e parabenizou a atuação dos policiais. "Planejamento, cooperação e inteligência encerraram a reincidência de crimes hediondos e mais tragédias a outras possíveis famílias. Nossos sinceros sentimentos pelas vítimas", disse. 

Inicialmente, o governador Ronaldo Caiado divulgou a informação apenas da prisão de Lázaro.

"Parabéns para as nossas forças de segurança. Vocês são motivo de muito orgulho para a nossa gente! Goiás não é Disneylândia de bandido", disse o governador Ronaldo Caiado em uma rede social.

Condenado por assassinatos e estupros, o fugitivo da Justiça era procurado por uma série de crimes na Bahia e em Goiás. Ele também é acusado da morte de quatro pessoas de uma família em Ceilândia, no Distrito Federal, e de um caseiro de uma fazenda no distrito de Girassol, em Goiás.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) de Goiás informou que o suspeito foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para o exame de corpo de delito e, em seguida, mas logo depois anunciou a morte de Lázaro.

Operação

Durante a perseguição, Lázaro invadiu ao menos 11 fazendas, trocou tiros e baleou moradores, dois policiais militares e um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), segundo informações da força-tarefa.

Drones, helicópteros, rádios comunicadores e até um caminhão com uma plataforma de observação elevada de videomonitoramento ajudaram nas operações.

Cães farejadores também atuaram na caçada a Lázaro. A cadela Cristal, que ajudou nas buscas em Brumadinho (MG), estava entre eles. Um dos animais, o pastor alemão Sauke, se machucou em uma pedra dentro de um rio.