Pastores se manifestam contra campanha LGBT do Burger King

Após usuários colocarem a #BurgerKingLixo no trending topics, pastores também passaram a se manifestar contra a campanha do Burger King “Como Explicar?”. Em vídeo, a rede de fast food usa crianças para incentivar os pais e incluírem a agenda LGBTQIA+ na educação de seus filhos. O vídeo, principal peça da campanha alcançou na manhã desta sexta-feira (25) um maior número de deslikes que o de likes. 

O pastor Claudio Duarte, conhecido em pregar o Evangelho de forma bem-humorada, foi um dos que abraçaram o boicote ao Burger King em favor da proteção às crianças.

“Tudo pela publicidade, visibilidade, ganho econômico. Pra mim isso não tem haver com justiça e sim com vingança. Escutem o grito da dor. Deus abençoe e tenha misericórdia de todos”, comentou.

O pastor Josué Valandro Jr. questionou a real motivação para o vídeo.

“Qual o objetivo de fazer um vídeo como esse? Confundir as crianças? Mostrar a incapacidade dos pais de resistir ao desejo da mídia de impor conceitos sexuais distorcidos? Prejudicar a fé cristã? Uma coisa é certa: pra uma empresa de comida fazer um vídeo tão esdrúxulo com crianças, não teve a menor preocupação em respeitar quem pensa diferente! Não me esperem mais em suas lojas!”, declarou o líder da Igreja Batista Atitude.

O pastor Emerson Pinheiro também entrou no boicote ao Burger King.

“Um absurdo!!!!! Não toquem nas nossas crianças. Ai de quem tocar nos pequeninos. Esse povo está brincando com coisa séria”, disse o cantor e compositor.

O cantor Rafael Bitencourt mostrou em um vídeo nas redes sociais “a pegadinha psicológica que eles usam nesse comercial”. Segundo ele, o Burger King está doutrinando as crianças em direção à ideologia de gênero.

O deputado estadual Fábio Silva (DEM-RJ) também se pronunciou sobre o caso que chamou de "covarde". 

"O que estão fazendo com as crianças é algo desprezível. Nojo! Induzindo inocentes à sexualidade. Crianças precisam estudar, brincar. Mas fazem tudo pela publicidade, pelo dinheiro, pela lacração". 

O parlamentar ainda completou: "Boicote ao Burger King! Faz mal pra saúde e pra família cristã".

Burger King provoca cristãos nos EUA

Neste mês a rede de lanchonetes já havia provocado os cristãos, só que nos Estados Unidos. Por lá, foi lançada no início do mês uma campanha de arrecadação de fundos para grupos LGBT que aproveitou para provocar um empresa concorrente, conhecida por fazer doações a grupos cristãos. O Burger King prometeu que, a cada sanduíche de frango vendido pela rede, 40 centavos de dólar serão doados ao Human Rights Campaign, uma das maiores organizações LGBT dos EUA.

A postagem no Twitter foi entendida como uma provocação direta à rede de restaurantes, Chick-fil-A, especializada justamente em sanduíches de frango e que fecha aos domingos.

O Chick-fil-A é frequentemente criticada por ativistas LGBT por seus posicionamentos em relação à ideologia de gênero. A empresa fez diversas doações a grupos cristãos, incluindo a “National Christian Charitable Foundation”, entidade que se opõe à agenda LGBT nos EUA.



Leia também:

Cristãos boicotam Burger King por campanha LGBT com crianças