Escritora cristã reage à identidade de gênero: “não podemos apagar a história, a língua e a ciência”

A escritora, cantora e influenciadora cristã Emma Danzey, dos Estados Unidos, compartilhou na última segunda-feira (21) sua contundente opinião sobre a identidade de gênero e o uso de pronomes neutros, afirmando que “nós não podemos apagar a história, a língua e a ciência”.

Para Emma, que também é especialista em educação musical para crianças, uma pequena minoria está tentando derrubar pilares como as palavras “pai” e “mãe”, além de tentar emplacar o uso de pronomes neutros.

De acordo com a escritora, a geração Z, de pessoas nascidas após 1995, são as mais engajadas nesse “movimento”, especialmente por serem a geração mais influenciada pelas redes sociais. Consequentemente, a mídia e os governos estão embarcando na ideia em troca de popularidade online.

Ainda segundo Emma, isso representa uma tentativa de apagar a história, a língua e a ciência:

“[Dessa forma], tudo o que nós aprendemos na escola está a ponto de ser mudado. Vai haver diversas mudanças em livros de gramática, anatomia e biologia. Não é uma questão de preferência, mas ciência. Uma vida não pode vir ao mundo sem a junção dos gametas do homem e da mulher” – afirmou a escritora.

Emma, no entanto, pediu que cristãos não usem as redes sociais como plataforma de ódio, mas de conscientização, os encorajando também a se engajar em cobranças aos governos e à mídia, para mostrar as preocupações com o incentivo da agenda da identidade gênero para crianças.


Siga-nos