Grupo pró-vida parabeniza “o bebê mais prematuro” que sobreviveu após ser desacreditado por médicos

Um bebê estadunidense nascido com apenas 21 semanas e dois dias de gestação entrou para o Livro dos Recordes por ser o mais prematuro a sobreviver. Agora, sua história incrível está sendo celebrada pela comunidade pró-vida.

Neste mês de junho o pequeno Richard comemorou seu primeiro aniversário, o que levou o ‘Guinness’ a reconhece-lo como novo detentor do recorde. Ele nasceu com apenas 21 semanas e dois dias de gestação, pesando cerca de 340 gramas, com 131 dias prematuridade – o período gestacional padrão é de 40 semanas. A marca anterior era de James Elgin, criança canadense nascida em 1987, 128 dias antes do esperado.

Beth Hutchinson, mãe de Richard, contou que uma médica do Hospital Pediátrico de Minnesota “deu ao garoto 0% de chance de sobreviver”, mas no fim das contas ele ficou conhecido como “o bebê do milagre”. A história virou uma inspiração para o trabalho de diversos grupos pró-vida, que ganharam mais um combustível para continuar sua luta:

“Os médicos o deram 0% de chance de sobrevivência, porém Richard é um guerreiro que acabou de celebrar seu primeiro aniversário. Com os cuidados e o apoio certos, bebês prematuros podem não só sobreviver, mas viver com qualidade!” – compartilhou o perfil da organização ‘Marcha Pela Vida’.

Para Marjorie Dannenfelser, presidente da organização pró-vida ‘Susan B. Anthony List’, a notícia deveria impactar o debate público no sentido de ajudar os bebês em vez de rejeitá-los:

“A ‘viabilidade’ fica de lado sempre que alguém vira as costas” – escreveu em uma publicação.


Siga-nos