Buscas por Lázaro incluem caçador e cadela de Brumadinho Nesse 13o. dia de buscas por Lázaro Barbosa, de 32 anos, que vem sendo chamado de "serial killer" do Distrito Federal, um caçador conhecido como Babaçu, do interior de Goiás, foi chamado para ajudar a força-tarefa a encontrar o foragido.

Babaçu teria compartilhado um vídeo nas redes sociais contando sua história. Nas imagens, ele se oferece para caçar Lázaro.

Segundo o caçador, ele perdeu o pai aos 5 anos e, aos 7, começou a viver da caça.

Ele pediu à polícia uma roupa camuflada do Exército, uma arma calibre 12 e dinheiro. Segundo Babaçu, ele só precisa ser colocado no último lugar onde Lázaro foi visto.

O grupo de buscas também conta com a participação da cadela Cristal, que esteve nas buscas por vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho, Minas Gerais, em 2019. Além de Cristal, o time inclui os agentes Dart, pastor alemão, e Hope, um Cão de Santo Humberto ou bloodhound. 

No início da tarde, após receber a informação de que Lázaro foi visto em uma área de mata fechada, no distrito de Girassol, em Cocalzinho (GO), a força-tarefa concentrou as buscas na região e fechou o espaço aéreo. Só podem sobrevoar o local, aeronaves do estado ou drones.

Dois drones da inteligência são usados nas buscas. Os policiais não informaram qual força eles pertencem. Um é o Mavic Zoom e o outro, é o Enterprise, com sensor de calor. Os militares não confirmaram se os cães estão em campo nas buscas por Lázaro.

Quem tiver alguma informação relacionada ao caso, pode denunciar pelo telefone 191. 

(Foto: Corpo de Bombeiros de GO / Instagram)