De olho nas Eleições, Lula vai ao Rio para almoço com Eduardo Paes

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, se mostra cada vez mais alinhado à política dos partidos de esquerda e começa a adotar ações para dirigir o Rio neste sentido. De olho na campanha presidencial 2022, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) programou uma visita de três dias, a partir de quinta-feira à capital fluminense. Na agenda, está previsto um almoço com o prefeito Eduardo Paes (PSD), a quem Lula pretende atrair para uma aliança entre partidos de esquerda e centro-direita em torno de seu palanque.

De acordo com Washington Quaquá, líder do PT fluminense, o almoço deve ocorrer na quinta ou na sexta-feira, no Palácio da Cidade, em Botafogo, zona sul carioca, local reservado para despachos e cerimônias formais promovidas pelo prefeito. A assessoria de Paes ainda não confirmou o encontro, mas adiantou que, se ocorrer, será fechado à imprensa.

Na semana passada, uma nota sobre a visita do ex-presidente ao Rio informou que Lula se encontraria com um líder evangélico, num movimento de reaproximação com o segmento religioso, um dos pilares da base social de apoio do adversário Jair Bolsonaro. “A agenda evangélica será em outro momento”, diz Quaquá.

Na quinta-feira, o ex-presidente terá um encontro, no fim da tarde, com dirigentes e parlamentares do PT estadual, além de políticos de partidos de esquerda, como os deputados federais Marcelo Freixo (Psol), pré-candidato a governador do Rio; Alessandro Molon, presidente do PSB fluminense; e Jandira Feghali (PCdoB).

Freixo está de mudança para o PSB e é o candidato de Lula no Rio para 2022. Paes trava conversas com o parlamentar para a formação de uma frente ampla no Estado, mas seu nome para a disputa é o do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, que está sem partido mas deve se filiar ao PSD do prefeito, quando terminar seu mandato no comando da entidade, em fevereiro.