Meio Ambiente: Mudanças básicas no dia a dia fazem grande diferença à natureza

Nunca foi tão importante falar sobre o meio ambiente. Em tempos de isolamento social, o mundo parece perceber cada vez mais que se não cuidarmos do nosso planeta agora, as gerações futuras terão um grande problema para enfrentar. 

Neste sábado (05), o Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado, mais uma vez, em meio à pandemia.

A data, instituída pela ONU em 1972, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em Estocolmo, é celebrada todo dia 5 de junho. O objetivo principal é chamar a atenção da população para os problemas ambientais. E mais do que isso: é alertar sobre a importância da preservação dos recursos naturais. Para falar sobre o tema, o Melodia News conversou com o especialista em gestão de resíduos domésticos, Rafael Zarvos, fundador da empresa Oceano Gestão de Resíduos
.

Aproveitar a data para repensar hábitos do nosso dia a dia é uma boa forma de dar o primeiro passo?


Rafael Zarvos
: As pequenas atitudes cabem única e exclusivamente a nós, em nosso dia a dia, repensando os nossos hábitos e com a vontade de fazer algo pensando na preservação do meio ambiente. Estes pequenos desejos de mudanças muitas vezes acabam tendo um poder catalisador de transformação.

A pandemia pode ser considerada como um alerta para que a população entenda a importância de cuidar do meio ambiente?


O século XX foi um período de mudanças ecológicas sem precedentes, com reduções drásticas nos ecossistemas naturais e na biodiversidade. A destruição afeta diretamente a nossa sobrevivência. A cada 4 meses surge uma doença infecciosa em humano, 75% destas doenças são provenientes de animais. Para evitar novos surtos, o comércio ilegal de animais silvestres e a destruição dos seus habitats devem parar.


Como especialista, quais dicas o senhor deixa pra quem deseja impactar de forma positiva o meio ambiente? 


Fechar a torneira enquanto escova os dentes, tomar banhos mais curtos, optar por produtos eco-friendly, usar copos e canudos que não sejam descartáveis são algumas atitudes que podem parecer pequenas, mas já são um grande passo.
Devemos lembrar que não temos plano B. Estamos chegando no esgotamento dos recursos naturais. O nosso grande desafio é equilibrar o crescimento da população e, consequentemente, o aumento por demanda de bens e a sustentabilidade. O caminho passa pela mudança no nosso comportamento e valorização da economia circular.

De que forma as novas gerações poderão assumir esse compromisso com o meio ambiente, tornando-se cidadãos mais relevantes?


A primeira fase das crianças, que vai do 0 aos 6 anos, é a mais importante na parte cognitiva, é quando começam a repetir os gestos dos pais. Este é o momento de introduzirmos hábitos saudáveis através de simples gestos como incentivar brincadeiras ao ar livre em contato com a natureza, fechar a torneira na hora de escovar os dentes e no banho, apagar as luzes quando não estiver no ambiente, fazer a separação do recicláveis e pedir que ela descarte no cesto certo e ensinar a compostar. A compostagem é um processo que transforma resíduos orgânicos em adubo através da ação de microrganismos. Dessa forma, você pode compostar aproximadamente 60% dos seus resíduos. Os exemplos mais comuns desses resíduos costumam ser restos de frutas, legumes e verduras, mas além destes você ainda pode compostar cascas, grãos e sementes em geral, a borra e o filtro do café e até mesmo o saquinho do chá, o hashi da comida japonesa. São muitas possibilidades!