Vitória sobre o Equador faz Brasil disparar na busca por uma vaga na Copa do Catar

Apesar dos protestos contra a realização da Copa América no Brasil, mesmo sem público, o futebol continua com todo o gás no país. Nesta sexta-feira (04) foi dia do Brasil entrar em campo pelas Eliminatórias da Copa do Mundo 2022. No jogo disputado no estádio do Beira-Rio, em Porto Alegre/RS, O Brasil derrubou a forte marcação do Equador e venceu por 2 a 0, pela sétima rodada. Vale lembrar que os jogos da quinta e da sexta rodadas foram adiadas pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) por conta da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Os brasileiros mantiveram os 100% de aproveitamento, com 15 pontos em cinco partidas. São quatro pontos de vantagem para a Argentina, segunda colocada nas Eliminatórias, e oito a frente da Colômbia, que está em sexto e é a primeira seleção fora da zona de classificação. Os quatro primeiros colocados se garantem no Catar e o quinto disputa uma repescagem.

A Seleção Brasileira entrou bastante modificada na comparação com o time que derrotou o Uruguai na casa do rival, em Montevidéu, há quase sete meses. Apesar de o entrosamento não ser o ideal, o Brasil teve a iniciativa dos primeiros 45 minutos e pressionou atrás do gol. Sem êxito, é verdade, mas graças à forte marcação equatoriana.

Os gols


Aos 42 do primeiro tempo, o lateral Danilo cruzou rasteiro pela direita e o atacante Gabriel Barbosa mandou para as redes. Gabigol, porém, estava em impedimento e o lance foi anulado.

No retorno do intervalo, o Brasil tentou apostar nos lançamentos longos, contando com a velocidade dos jogadores de frente. Passado o primeiro terço da etapa final, o técnico Tite deixou a equipe mais agressiva com a entrada do atacante Gabriel Jesus no lugar do volante Fred, pendurado com o cartão amarelo. Com mais homens no campo ofensivo, a rede enfim balançou. O meia Lucas Paquetá retomou a bola na intermediária e Neymar abriu na esquerda para o atacante Richarlison abrir o placar.

Aos 39 minutos, com auxílio do árbitro de vídeo (VAR), o juiz venezuelano Alexis Herrera marcou pênalti em cima de Gabriel Jesus, em meio a um bate-rebate na área. Após sete minutos de paralisação, Neymar cobrou mal a penalidade e Domínguez defendeu, mas Herrera entendeu que o goleiro se adiantou e mandou voltar a cobrança. Na segunda tentativa, com o cronômetro já marcando 48 minutos, o camisa 10 mandou para as redes e decretou o resultado final.

O Brasil volta a campo pelas Eliminatórias na próxima terça-feira (8), às 21h30 (horário de Brasília), contra o Paraguai, fora de casa, no Defensores del Chaco, em Assunção.

Polêmica

Antes mesmo de a partida começar, o clima na seleção não era dos melhores. Durante toda a semana, o técnico Tite se demonstrou insatisfeito com o anúncio da realização da Copa América no Brasil. As especulações sobre uma possível saída de Tite afetou o ambiente também entre os jogadores, que foram impedidos pela CBF de participar das coletivas de imprensa. Fora de campo, a torcida não perdoou e levantou #ForaTite, que chegou ao topo dos assuntos mais comentados no Twitter.

Após o jogo contra o Equador, o técnico evitou falar em adeus, e garantiu estar em paz consigo mesmo.

Por compromisso, Tite deu coletiva após a vitória com o Equador. Se enrolou em algumas respostas táticas e quando o assunto foi sua manutenção no comando da seleção após a polêmica dos últimos dias, ele se esquivou bastante e jogou a decisão para frente.

Quando questionado se foi seu jogo de despedida no Brasil, o treinador apenas admitiu que muitas hipóteses seriam levantadas após ele revelar a insatisfação do grupo com a Copa América e pediu total averiguação para não surgirem versões forçadas. “Sabia que surgiram essas hipóteses”.

Opções

Em caso de pedido de demissão, já existe uma alternativa para a CBF: Renato Gaúcho. O treinador está sem clube desde que deixou o Grêmio, em abril, e já manifestou diversas vezes seu desejo de treinar o Brasil. O bom trabalho no tricolor gaúcho, em que foi campeão da Copa do Brasil, da Libertadores e da Recopa Sul-Americana, traria respaldo junto à torcida e imprensa.

Outra caminho seria buscar um treinador estrangeiro. Na CBF é vista com bons olhos a ideia de abrir mão de profissionais brasileiros pela contratação do espanhol Xavi para fazer parte da comissão técnica.



 



 



(Foto: Reprodução CBF)


Siga-nos