Governo do Rio lança programa Rio+Alfabetizado Fortalecer a primeira etapa do Ensino Fundamental para qualificar a educação fluminense pelos próximos 15 anos. Esse é o objetivo do Rio+Alfabetizado, programa de formação do Governo do Estado do Rio de Janeiro que vai capacitar 6,4 mil professores alfabetizadores das redes municipais. A iniciativa foi lançada nesta segunda-feira (31), no Palácio Guanabara.
 
“Estamos investindo na ponta da educação para que essas crianças cheguem mais bem preparadas no Ensino Médio. Além de capacitações como a do Rio+Alfabetizado, planejamos usar os recursos não gastos em 2020, por conta da pandemia da Covid-19, nos próximos anos. Vamos construir 30 escolas, reformar todas as 1,2 mil unidades e fortalecer o uso de tecnologia. Tudo isso para preparar os estudantes para uma vida mais digna, com mais chances no mercado de trabalho”, ressaltou o governador Cláudio Castro.
 
O programa de atualização dos docentes contará com investimento de R$ 6 milhões. De acordo com o secretário de Estado de Educação, Comte Bittencourt, o Rio+Alfabetizado fará a diferença na jornada escolar de toda uma geração. Cada cidade, exceto a capital, poderá aderir ao projeto por meio de um convênio. 
 
“Nós vamos investir recursos nessa formação numa articulação com os municípios que fará a diferença na qualificação do docente alfabetizador e, por consequência imediata, nossas crianças. Se avançarmos adequadamente na questão do letramento, daqui a 15 anos teremos uma geração inteira beneficiada no estado do Rio de Janeiro”, explicou. 
 
Cursos
 No programa, serão oferecidos cursos de extensão e de especialização, independentes e complementares. As capacitações serão oferecidas a professores alfabetizadores que estejam em regência de turmas de 1º ano do Ensino Fundamental. 
 
O curso de extensão terá 180 horas e 10 meses de duração, sendo dirigido aos alfabetizadores com qualquer nível de escolaridade. Já o de especialização vai ter 360 horas e será voltado a docentes que possuam nível superior completo. 
 
A formação levará em conta a diversidade; as demandas e experiências dos educandos; a organização e os contextos educacionais de cada localidade; a realidade social; e as particularidades das diferentes regiões.