Maioria dos americanos é contra atletas competirem em times referentes a sua identidade de gênero

Uma nova pesquisa de opinião conduzida pela empresa Gallup nos Estados Unidos (EUA) apontou que a maioria dos cidadãos americanos são contra atletas competirem em modalidades e times referentes a sua identidade de gênero. Na prática, o resultado mostrou que 62% dos respondentes não aprova que homens biológicos que “se identificam” como mulher compitam em esportes femininos, e vice-versa.

O estudo ouviu mais de mil adultos e o resultado se confirmou, inclusive, entre os mais jovens, com aproximadamente seis a cada dez americanos reprovando a ideia. Enquanto muitos estados nos EUA debatem leis para proibir a prática, especialmente no esporte colegial, o estado de Connecticut abriu a discussão permitindo dois garotos biológicos que se identificam como garotas a competirem nos esportes femininos.

De acordo com o estudo da Gallup, o resultado foi semelhante entre quase todos os segmentos entrevistados, inclusive em todas as faixas etárias, desde jovens de 18 a 29 anos (59% reprova a prática). O único grupo que formou maioria por concordar que atletas joguem pela modalidade do gênero com o qual se identificam foram os eleitores democratas, que somaram 59% de aprovação. Entre os republicanos, 86% reprova, além de 63% dos independentes.

“Com políticas de bolsa em times esportivos ganhando tração nas discussões legislativas dos estados, o público se inclina contra permitir que atletas se unam a times referentes a sua identidade de gênero”, afirma a análise da Gallup.


Siga-nos