Ultramaratonista escapa de tragédia na China com ajuda de pastor

O corredor de longa distância Zhang Xiaotao estava na liderança da corrida da ultramaratona na China, na qual 21 pessoas morreram de hipotermia depois de serem encharcadas por uma chuva congelante e varridos por fortes ventos em uma trilha na montanha.

Se recuperando de sua provação, Zhang, de 29 anos, contou como foi encontrado inconsciente por um pastor que o carregou para um local seguro.

“Pressionei SOS no meu rastreador GPS e desmaiei”, escreveu Zhang em um post um dia depois no Weibo, um microblog parecido com o Twitter popular na China.

“Fiquei inconsciente na montanha por cerca de duas horas até que um pastor passou e me carregou para uma caverna.”

“Ele acendeu uma fogueira e me envolveu em uma colcha. E depois de mais uma hora ou mais eu acordei.”

“Eu sou muito grato a esse grande homem que me salvou, porque sem ele, eu ainda estaria deitado lá. Nunca vou esquecer a nova vida que ele me deu! ”

Dos 172 participantes da corrida de 100 quilômetros na manhã de sábado (21), 151 sobreviveram.

Zhang disse que, apesar de sua exaustão, não conseguiu dormir na noite de sábado enquanto esperava notícias de seus companheiros corredores.

A última das 21 vítimas foi encontrada morta na manhã de domingo.

A raiva se espalhou nas redes sociais após a notícia de que dois atletas de elite da ultramaratona estavam entre os mortos.

“Ninguém sabe que não dormi nos últimos dois dias e ninguém sabe o quanto chorei nos últimos dois dias”, disse Zhang.

Em uma entrevista coletiva no domingo, as autoridades em Baiyin, uma cidade na província de Gansu, curvaram-se e pediram desculpas, assumindo a culpa pela tragédia.

Eventos esportivos, especialmente esportes radicais, proliferaram no oeste da China nos últimos cinco anos, incentivados por autoridades locais que buscam transformar cidades de mineração esgotadas em pólos de aventura e esportes, estratégia endossada por Pequim.

 



Leia também:

MARATONA NA CHINA ACABA COM 21 MORTOS