Técnico da Seleção Masculina de Vôlei recebe alta e deve comandar o Brasil nas Olimpíadas O técnico da seleção brasileira masculina de vôlei, Renan Dal Zotto, já está em casa. O comandante da equipe do Brasil teve alta hospitalar nesta sexta-feira (21) após 36 dias de internação devido à covid-19.

Renan seguirá fazendo fisioterapia respiratória e motora enquanto já acompanha, de maneira remota e dentro da limitação indicada, o dia a dia da seleção na disputa da Liga das Nações. Nos primeiros compromissos do torneio, a seleção será comandada pelo assistente Carlos Schwanke.

Renan testou positivo para a covid em meados de abril, depois que o vice-presidente da Confederação Brasileira de Vôlei, Radamés Lattari, já estava internado com a doença em um hospital do Rio de Janeiro. Os dois estiveram juntos no Centro de Desenvolvimento do Vôlei (CDV), em Saquarema (RJ), uma semana antes, quando a estrutura recebia, ao mesmo tempo, a final da Superliga Feminina, os times que jogariam as semifinais da Superliga Masculina e as duas seleções adultas de vôlei de quadra.

Renan rapidamente precisou ser intubado. Menos de uma semana depois, o treinador foi extubado, ficou um dia sem o tubo, mas acabou precisando ser intubado novamente. Durante a internação, ele precisou ser submetido a cateterismo em uma veia e uma artéria da região pélvica, uma vez que os exames de rotina identificaram coágulos sanguíneos na região de dois catéteres.

Depois, no dia 5, o treinador passou por uma traqueostomia, que é a abertura de um orifício artificial no pescoço, por cirurgia, que liga a traqueia ao respirador mecânico.