Igreja Ortodoxa da Suécia se declara trans

A maior denominação cristã da Suécia anunciou em uma carta aberta que é "trans".

O site Summit News relata que a Igreja da Suécia, que é a maior denominação luterana da Europa, postou a carta intitulada "Carta Pessoal para Você que é Trans" no site oficial da diocese de Västerås. O documento é assinado por uma enorme lista de padres, diáconos, funcionários da igreja e muito mais. 

"Escrevemos para você de uma igreja que também é trans. Uma igreja é feita de pessoas. As pessoas são diferentes. Temos confirmados, funcionários, patrões, representantes eleitos, organizações sem fins lucrativos e outros paroquianos que se definem como pessoas trans. A igreja também consiste de pessoas trans. Portanto, a igreja poderia ser descrita como trans ", dizia a carta.

A carta da Igreja então reprimiu os esforços de feministas e outras pessoas que estão tentando manter os homens biológicos fora dos vestiários e esportes femininos e femininos. 

“Isso contribui para a normalização do ódio trans”, afirma a carta. “Acreditamos em uma igreja e em um Deus que acolhe pessoas além do poder, fronteiras nacionais, etnia, orientação sexual, sexo e identidade de gênero. Uma humanidade em todas as cores do arco-íris, absolutamente incrível e infinita em sua diversidade. Somos diferentes e isso é bom. E Deus viu que era bom. "

A carta atraiu elogios e críticas. 

Um usuário escreveu no Twitter: "E esta, bem aqui, é a última gota. Então a igreja é trans, e trans é a nova norma. Este é o texto mais bajulador e nojento que já li. Obrigado e adeus, Igreja de Suécia."

"A Igreja da Suécia é, portanto, completamente densa. Eles são tão espertos agora quanto eram durante os julgamentos das bruxas. Gostaria de poder rir da miséria, mas como mulher é difícil", ponderou outro usuário.

Esta não é a primeira vez que a Igreja da Suécia apregoa suas credenciais LGBT. 

Em 2017, o conselho de 251 membros da igreja votou para trocar termos como "Senhor" e "Ele" e incorporar o termo mais neutro em termos de gênero "Deus".

Em 2019, a Igreja da Suécia também distribuiu um guia LGBTQ para "crianças queer cristãs". O guia rotulou de forma chocante Jesus como "queer" e José como travesti.