Marcha da Família acontece neste sábado e levanta a bandeira do voto impresso Manifestantes favoráveis ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido) voltam às ruas neste sábado, 15 de maio, para a Marcha da Família Cristã pela Liberdade. Os organizadores afirmam que a primeira edição, em 11 de abril, reuniu pessoas em 100 cidades. A expectativa é de que esse número dobre hoje. A data do evento foi decidida por ser o Dia Internacional da Família.

Uma das bandeiras da Marcha da Família é a adoção do voto impresso nas eleições de 2022, tema que é objeto de uma comissão criada na Câmara dos Deputados. Qualquer mudança na legislação eleitoral precisa ser aprovada até o início de outubro para que entre em vigor nas eleições de 2022.

Mais duas pautas devem dar o tom dos atos: críticas a medidas de isolamento social decretadas por governos locais e críticas ao Supremo Tribunal Federal, repetindo o que já ocorreu em manifestações em defesa de Bolsonaro no dia 1º de Maio.

Representantes do agronegócio e dos caminhoneiros também se juntaram à Marcha da Família que, em Brasília, conta com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

Quase 200 entidades de produtores rurais que compõem o Movimento Brasil Verde e Amarelo convocaram os atos deste sábado.

Aliados próximos do presidente, como a deputada federal Carla Zambelli (PSL), também confirmaram a participação. De acordo com Claudinei Pelegrini, presidente da Federação dos Caminhoneiros Autônomos de São Paulo, haverá também a presença da categoria, que visa pressionar o governo do Estado a reduzir o ICMS dos combustíveis.