Mãe acusada de matar o filho de 3 anos havia se indignado contra a morte de Henry Borel A mãe do menino Gael de Freitas Nunes, de 3 anos, encontrado morto e com sinais de espancamento na última segunda-feira (11), em um apartamento na região da Bela Vista, área nobre de São Paulo, havia ficado indignada com o caso do menino Henry Borel, morto em 8 de março, no Rio de Janeiro, em circunstâncias semelhantes. O relato é da tia-avó do garoto, dona Maria.

Ela não acredita que a mulher tenha agredido o filho até a morte, e afirma que imagina ter acontecido um acidente na cozinha do apartamento. 


Ontem (11), a Justiça decretou prisão preventiva de Andréia Freitas de Oliveira, de 37 anos, mãe de Gael. Ela havia sido presa em flagrante na segunda-feira, dia da morte do menino.

Gael foi levado a um hospital após ter sido encontrado desacordado e ferido no apartamento onde morava com a mãe, a irmã dele, de 13 anos, e a tia-avó.

Segundo a polícia, a mãe teve um surto psicótico. Ela foi indiciada por homicídio qualificado por meio cruel e ficará presa até um provável julgamento.