Cultura e fé: teóloga apresenta ditos populares  sob nova perspectiva "Tempo é dinheiro", "pimenta nos olhos dos outros é refresco", "antes só do que mal acompanhado". Esses são três dos vinte famosos ditos populares analisados por Ágatha Cristian Heap, mestra em Religião e Teologia, no livro “A voz do povo e a voz de Deus”, lançado recentemente pela editora Mundo Cristão.

Ao estudar parte do arcabouço de ditos da rica cultura brasileira, Ágatha convida o leitor a refletir sobre as explicações ou soluções vindas do conhecimento popular e instiga um curioso debate: até que ponto tais pensamentos dialogam com os princípios milenares das Escrituras?  

Com esse pano de fundo, a autora sinaliza concordâncias, discordâncias e ressalvas a partir do contraste entre a sabedoria popular e os ensinamentos de Jesus Cristo, ao mesmo tempo em que esclarece a importância de reconsiderar a aplicabilidade e os resultados de algumas máximas populares tidas como verdades.  

“O objetivo deste livro é confrontar a sabedoria que vem de Jesus com a sabedoria que vem da cultura, por meio de seus ditados e provérbios. Por vezes haverá concordância entre a sabedoria de Jesus e a sabedoria popular; por vezes, haverá necessidade de ressalvas; por vezes, o contraponto será total.” (A voz do povo e a voz de Deus, p. 12).

Com o intuito de estabelecer um diálogo respeitoso entre as lições bíblicas e da sabedoria pública, ao mesmo tempo em que apresenta uma nova perspectiva entre fé e cultura, a obra se propões a apresentar lições práticas para o dia a dia e trata de forma acessível os assuntos profundos da Teologia. A cada capítulo, o livro traz uma oração e perguntas com o objetivo de facilitar a compreensão dos conceitos elucidados.


(Imagem meramente ilustrativa: Freepik)