Egito classifica morte de 20 pessoas em explosão como terrorismo Pelo menos 20 pessoas morreram e outras 47 ficaram feridas em uma explosão no Cairo, capital do Egito, nesta segunda-feira (5).

O massacre foi provocado por um veículo carregado de explosivos que se chocou contra outros três carros, em uma ação classificada de “ato terrorista” pelo presidente egípcio, Abdel Fatah Al Sisi.
Segundo o Ministério do Interior, o incidente ocorreu pouco antes da meia-noite desta segunda, em uma área às margens do rio Nilo, próxima ao Instituto Nacional do Câncer.

Al Sisi manifestou em redes sociais suas condolências “ao povo egípcio e às famílias dos mártires mortos no covarde incidente de origem terrorista”. Ele também prometeu erradicar “este terrorismo brutal”.

O governo egípcio atribuiu o ato ao grupo Hasm, que surgiu em 2016 e, desde então, assumiu a autoria de diversos ataques. O Hasm é considerado pelas autoridades como próximo à Irmandade Muçulmana, organização proibida e severamente reprimida no Egito.