Marquinhos Gomes fala sobre fé, relação com a música, carreira musical da filha e muito mais

O cantor Marquinhos Gomes esteve mais uma vez nos estúdios da Rádio Melodia na última terça-feira (04) para cantar alguns de seus sucessos. Marquinhos se apresentou no programa ‘Melodia Ao Vivo’ e conversou com o locutor Edinho Lobo sobre sua relação com a música, o orgulho de ver a filha primogênita também seguindo a carreira musical, além compartilhar alguns de seus testemunhos de fé.

Confira como foi a conversa:

Marquinhos, sua relação com a música vem desde cedo?

Marquinhos Gomes:
Eu nasci na igreja, na Assembleia de Deus. Eu costumo dizer que a Assembleia de Deus é a minha escola. Ali eu participei, desde os meus 10 anos de idade meu pai já me levava para a banda de música. Eu sou cria de Santa Rita, cria da Assembleia de Deus de Santa Rita, em Nova Iguaçu, e lá nós tínhamos uma orquestra, da família dos Pacífico, e ali eu aprendia a tocar instrumentos. Meu pai sempre me levava na igreja para poder acompanhar a orquestra para poder aprender, até mesmo de longe, levava meu violão, às vezes tocava bumbo, tocava tarol, então a gente sempre estava envolvido ali na banda de música da Assembleia de Deus.

E você sempre teve uma relação muito boa com o saxofone, não é?

É, eu devo muito a uma professora, que hoje dorme no Senhor, a Irmã Mercedes Pacífico, da Vila Pacífico, perto de Santa Rita, ela foi minha professora de teoria musical. O sonho da minha mãe era que eu fosse Sargento da Aeronáutica e, na verdade, eu estudei sax para poder seguir carreira militar. A irmã Mercedes sempre me dando bronca, devo muito a ela, uma grande professora em minha vida.

O que você falaria para as pessoas que estão enfrentando problemas, que estão fracas, muitas vezes não conseguem abrir a boca para orar?

Nós estamos vivendo um tempo de depressão. A Palavra de Deus diz que "no mundo tereis aflições, mas tens bom ânimo, pois eu venci o mundo e vós vencereis". O que eu vejo hoje é que, às vezes, a pessoa está no meio de um grupo, até mesmo em casa, no meio dos familiares, no meio dos amigos, mas ela é uma pessoa sozinha, solitária, por causa da depressão.

Nós estamos vivendo um tempo em que as pessoas estão vivendo mais depressão do que da Covid propriamente dita, existe pessoas que estão se matando mais do que com esse coronavírus. Mas eu digo o seguinte, a solução é Jesus, a solução é a pessoa se agarrar com Jesus, buscar o Espírito Santo, porque só o Espírito Santo pode curar a pessoa, que pode arrancar essa depressão, que pode transformar a morte em vida. As pessoas ainda não descobriram o Espírito Santo, existe uma calamidade, existe um momento de morte, e, às vezes, as pessoas ainda não se atentaram que existe um Deus que pode mudar a história, um Deus que pode curar, libertar e transformar.

O meu conselho é que corra para Jesus, busque ao senhor onde você estiver agora. Se você está sentindo uma dor, uma angústia, uma depressão, busque o Espírito Santo agora, diga: "Senhor, venha sobre a minha vida agora, venha, Espírito Santo, e renova minha vida, renova o meu ser". Eu tenho certeza que essa dor vai passar, eu tenho certeza que essa angústia vai passar, no nosso interior fluirão rios de águas vivas, eu creio no poder das águas vivas, eu creio nesse poder.

Quando nós clamamos, não importa sua religião, sua crença, saiba que Deus vai fluir dentro de você e vai arrancar essa depressão, essa dor e essa angústia.

Como você consegue conciliar a sua vida como cantor e, ao mesmo tempo, vendo alguém da sua família, como a Gabriela Gomes, sua filha, seguindo também a carreira musical? É fácil administrar isso?

Não é fácil. Lá em casa nós temos três mulheres, e mulher você tem que tratar igual taça, então filha não é o contrário. A Gabriela é uma menina que Deus a levantou de uma forma muito sobrenatural. Claro que ela tem um talento excepcional e cresceu ouvindo muita coisa boa, graças a Deus, eu educo minhas filhas a ouvir de tudo, e a Gabriela, além de ter uma grande unção, um chamado de Deus, ela me dá orgulho, porque é uma menina muito humilde, simples, e com muito talento, compões muito. E eu estou com muita saudade dela, está lá em Portugal. Ela é uma bênção na minha vida, se eu morresse hoje eu morreria feliz.

Muita gente pensa "Deus me abandonou". E essa canção, 'Ele não desiste de você', como foi construída?

Então, eu lembro que em 2005 ou 2006 eu visitei o Bangu 1, o presídio aqui do Rio de Janeiro, fomos fazer uma obra, um grande evangelismo naquele presídio, e ali eu conheci um jovem, eu cantei, a Elaine Martins também estava nesse dia. Eu lembro que eu cantei uma canção, mas antes eu comecei a falar de Jesus com esse jovem e ele disse: "Marquinhos, eu tenho certeza absoluta que Jesus vai me tirar daqui". Ele se abriu muito comigo, aceitou Jesus, levantou sua mão, se converteu, e aí veio a frase na minha cabeça e eu disse pra ele: "jovem, não desiste, porque Jesus não desiste de você, ele não desiste."

Eu saí com essa frase do presídio, fui para casa e, chegando, na madrugada o Espírito Santo começou a me dar essa canção: "não importa quem você é, não importa o que você fez". Então, essa canção foi direcionada para um presidiário, tanto é que essa canção é tocada nos presídios, nos centros de recuperação, essa canção tem salvado muitas vidas do tráfico, muitos jovens, muitas pessoas viciadas em drogas que têm ouvido essa canção e sido abençoadas por Jesus.

É uma canção do apelo de todas as igrejas, elas cantam no momento do apelo. Essa canção é muito especial para mim, porque é uma canção 100% evangelística.

'O Amor Nunca Perde'. Fala um pouquinho sobre essa música. É muito difícil amar aquele que nos faz um mal, que nos ofenda? Como é esse amor a alguém que precisa da nossa compreensão, do nosso perdão?

Nós somos seres humanos, a Palavra de Deus diz "o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta", mas é muito fácil ler a Bíblia, é muito fácil falar. Eu vi uma cena nesses dias de uma mãe que estava perdoando um rapaz que matou o filho dela. Eu fiquei me perguntando, eu sou pai também, será que minha natureza teria fé para perdoar? Porque tem que ter fé para perdoar, então é muito fácil a gente falar, mas é difícil a gente viver.

Nesse momento, que a gente possa olhar para Jesus e saber que existe um Jesus, um Senhor que morreu por nós, mesmo sendo crucificado, escarnecido, mas Ele suportou tudo. Eu não sei se nós suportaríamos tamanha maldade, o que nós estamos vendo no mundo, tantas coisas ruins acontecendo. Será que eu perdoaria? Mas em Jesus nós podemos todas as coisas, como diz o Apóstolo Paulo, "nenhuma condenação há para aqueles que estão em Cristo Jesus, nem a morte, nem a vida, nem os principados, nem as potestades nos separará do amor de Cristo".

Quando vier a maldade, que a gente possa se manter firme em Jesus. Não é fácil perdoar, não é fácil amar nesse tempo difícil, mas vamos olhara para Ele.

Marquinhos, você fala muito profundamente em uma música chamada 'Quarto Secreto'. Você pode contar um momento em que orou no seu 'quarto secreto' e que Deus falou profundamente com você algo que realmente aconteceu, uma experiência do sobrenatural?

Foi a cura da Gabriela. Ela teve depressão alta, teve síndrome do pânico, e o maior milagre que pode acontecer com a gente é quando Jesus cura os nossos filhos, cura a nossa casa. Essa canção foi baseada em Matheus 6:6, "quando orardes, fecha a porta do teu quarto e ora em secreto; teu Pai te recompensará publicamente”.

E, por incrível que pareça, essa canção começou com minha filha Ana Vitória, ela tinha uns cinco anos de idade, e ela começou a cantar essa música lá em casa, começou a compor essa canção. É claro que a canção é do milagre que Deus fez na vida da nossa primogênita, da minha filha mais velha, a Gabriela, e que terminou esse milagre na Ana Vitória, que fez a música "Fecha a porta do teu quarto e hora".

Você considera que foi um momento difícil durante os anos que ficou sem gravadora? Você tem um trabalho independente, mas foi um momento que precisou muito de oração?

Muito! Tem um momento que Deus nos joga no deserto, e é claro que lá no deserto é onde Deus nos dá as mais lindas canções, é lá no deserto onde Deus é especialista em fazer coisas grandes. Ninguém quer estar no deserto, mas o deserto é o lugar do milagre, e foi o lugar para mim, onde Deus me reergueu, me inspirou e me inspira até o dia de hoje.

Por isso que eu me acostumei a estar no deserto, longe das grandes gravadoras, longe dos grandes sistemas de comunicação. Às vezes, Deus me afasta, me esconde, tem momentos que Deus esconde a gente, mas não tem coisa mais gloriosa do que quando a gente volta arrebentando e surpreendendo o mundo, porque é Deus que levanta, é Deus que exalta. É Deus que abatate e é Deus que exalta.

E a Melodia, nos altos e baixos, sempre esteve comigo, e eu quero agradecer, porque mesmo eu estando dentro ou fora das gravadoras, a Melodia nunca deixou de abrir os braços para a gente. Não só para mim, mas para muitos cantores independentes que tocam hoje na programação da Rádio.

E nas redes sociais, Marquinhos? Você está com uma websérie no YouTube, não é isso?

É, nós estamos contando toda a nossa história, são 14 capítulos, e essa websérie vai se transformar em um livro: 'Eu tinha tudo para dar errado'. Então, a websérie já está se transformando em um livro e daqui a pouco vai subir também no podcast do Spotify. Agora acabou a vibe de CD e DVD, não é?