Biden libera pesquisa com células de bebês abortados e é criticado por grupos pró-vida

Os Institutos Nacionais de Saúde (NIH), as agências de pesquisa médica mais importantes do governo dos Estados Unidos, reverteram restrições impostas a pesquisas, financiadas com fundos federais, que utilizem tecido e órgãos de bebês abortados.

O Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS), do qual fazem parte os NIH, afirmou recentemente que eliminaria o requerimento adotado pelo governo de Donald Trump em 2019, que obrigava a revisão por uma comissão de ética de todas as propostas de pesquisa do tecido fetal.

Tom McClusky, presidente da organização pró-vida March for Life Action, afirmou que o anúncio é "muito decepcionante".

“Este tipo de pesquisa experimental é uma grave violação da dignidade humana e não é onde a maioria dos norte-americanos quer que o dinheiro dos impostos seja gasto. O governo de Joe Biden não tem por que criar um mercado para as partes do corpo de um bebê abortado”, lamentou.

“Com a nova política, o governo do presidente Joe Biden "obrigaria os norte-americanos a serem cúmplices em experimentos bárbaros usando partes de corpos extraídos de crianças inocentes assassinadas em abortos, sem limites de qualquer tipo", disse Marjorie Dannenfelser, presidente da organização pró-vida Susan B. Anthony List.

Tara Sander Lee, pesquisadora principal e diretora de ciências da vida no Charlotte Lozier Institute, disse que a política “desafia tanto a melhor ética como a ciência mais promissora”.

“Explorar os corpos desses jovens humanos é desnecessário e grotesco. Existem alternativas éticas disponíveis, como os modelos de células-tronco adultas utilizados ​​por inúmeros cientistas ao redor do mundo para desenvolver e produzir medicamentos avançados que tratam pacientes agora, sem a exploração de nenhuma vida inocente”, explicou.

Em poucos meses de mandato, Joe Biden tem decepcionado cristãos que o apoiaram nas Eleições Presidenciais. Veja mais:





ARCEBISPO CATÓLICO DIZ PARA JOE BIDEN PARAR DE SE CHAMAR DE “DEVOTO” ENQUANTO APOIAR O ABORTO

EVANGÉLICOS PRÓ-VIDA DE BIDEN DIZEM QUE SE SENTEM 'USADOS ​​E TRAÍDOS' PELO PRESIDENTE

GRUPOS CRISTÃOS REAGEM À NOMEAÇÃO DE UMA PESSOA TRANS NO GOVERNO DE JOE BIDEN