Mortes e internações por Covid-19 estão diminuindo no Brasil, diz OMS As internações e mortes por covid-19 começaram a diminuir após quatro semanas de infecções desaceleradas no Brasil, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta sexta-feira (30).

"Os casos agora diminuíram por quatro semanas consecutivas, e as internações e mortes também estão diminuindo. Isso é uma notícia boa e esperamos que essa tendência continue", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva.

Mesmo assim, ele descreveu uma situação grave no país, que nesta semana se tornou o segundo a ultrapassar a marca de 400 mil mortes por Covid-19, depois dos Estados Unidos.

"Desde o início de novembro, o Brasil vive uma crise aguda, com o aumento dos casos da doença, internações e óbitos, inclusive entre os mais jovens. Durante o mês de abril, as unidades de terapia intensiva estiveram quase em capacidade máxima em todo o país", afirmou.

Ministro da Saúde faz apelo por vacinas

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou da coletiva da Organização Mundial da Saúde (OMS) para explicar o andamento do combate à pandemia do coronavírus no Brasil. Em seu discurso, Queiroga prometeu dar um novo ritmo à vacinação da Covid-19, acelerando o processo e orientando a população. O médico ainda fez um apelo a outros países pela chegada de mais imunizantes em território brasileiro.

Queiroga defendeu o "acesso justo e equitativo" de vacinas contra a Covid-19, e pediu que países com estoques em excesso de imunizantes comecem a doar doses ao Brasil "o quanto antes possível".