Partido comunista chinês cria canal para cidadãos denunciarem quem discorda do governo

Em mais uma medida para controlar o que é dito na internet, o Partido Comunista Chinês lançou um aplicativo para os cidadãos do país denunciarem pessoas que façam comentários críticos ao governo. Segundo a Administração do Espaço Cibernético da China, que desenvolveu o canal, o objetivo é estabelecer “uma boa atmosfera pública de opiniões”, incentivando a denúncia de “opiniões erradas.”

“Nós esperamos que a maioria dos usuários da internet tenham um papel ativo em supervisionar a sociedade e reportar com entusiasmo informação danosa”, afirmou a Administração, se referindo às publicações que se oponham à ditadura comunista no país. 

A medida é mais um esforço do Partido Comunista Chinês para continuar a caçada aos cidadãos que denunciam crimes, contestam políticas e clamam por liberdade nas redes sociais, já restritas no território. Em fevereiro, um jovem de 22 anos chamado Zhang, foi liberado após passar 15 meses na cadeia pelo crime de “insultar um líder de Estado”. Detenções como essa se intensificaram depois que, há poucos meses, a constituição chinesa foi alterada para permitir que “insultos a memória de heróis nacionais” fossem punidos com até três anos de reclusão.

Para Scott Kennedy, conselheiro sênior de negócios e economia chinesa do Centro de Estudos Estratégicos Internacionais, a iniciativa é “simplesmente um esforço da liderança para controlar a conversa sobre a história chinesa e limitar qualquer debate sobre interpretação de diferentes eventos, com objetivo de colocar o governo do presidente Xi Jinping como a ‘luz mais clara’”.