Bolsonaro vai a culto em Brasília e pede para que imprensa deixe de ser oposição Na manhã deste domingo (4/8), o presidente Jair Bolsonaro participou da comemoração de 25 anos da Igreja Apostólica Fonte da Vida, em Brasília, e criticou a imprensa. Segundo ele, os jornais brasileiros perseguem o governo e são de "oposição".

"A imprensa diz que estou no palanque. Mas a imprensa é que ainda está na oposição. Por muitas vezes não leio jornal nenhum para não começar o dia envenenado. Ignoro", disse Bolsonaro, que na sequência recebeu uma salva de palmas dos fiéis presentes à cerimônia e os gritos de "mito".

"Assim como não derrotaram o Trump nos Estados Unidos, não me derrotaram aqui no Brasil. Nós ganhamos e sabemos da responsabilidade que é botar esse país para a frente", acrescentou.

Durante o culto, Bolsonaro se emocionou e até chorou quando o pastor da igreja, Apóstolo César Augusto, lembrou da visita que fez ao então candidato após o atentado sofrido por ele durante a campanha eleitoral em 2018.

Ao discursar por aproximadamente 40 minutos, Bolsonaro acenou para a possibilidade de concorrer à reeleição em 2022. "Não trabalho pensando em 2022. Se formos bem, será natural. Se não for, espero que chegue alguém melhor do que eu e não outras pessoas que no passado demonstraram que a sua sede era de poder e nada além disso", comentou.

O presidente ainda pediu paz entre os representantes dos Três Poderes, e citou os nomes dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

"Todos nós temos acusações, alguns mais ou menos, mas temos a responsabilidade de tocar esse Brasil para frente. Não vou criticar o Legislativo e o Judiciário, e espero que eles não me critiquem também", declarou.


*Correio Braziliense