Homem corta o açúcar e vence o câncer

Os cientistas acreditam que dois terços de todos os cânceres são causados ​​por escolhas erradas, como fumar, se bronzear, não praticar exercícios e o principal fator de todos eles: uma dieta pobre. Quando se trata de dieta, um dos piores tipos é aquela rica em açúcar. Na verdade, os cientistas estão descobrindo cada vez mais uma ligação dramática entre o açúcar e o câncer.

Cem anos atrás, uma pessoa consumia em média apenas dois quilos de açúcar por ano. Agora, a maioria de nós ingere 40 vezes essa quantia – 80 quilos por ano.



Os fabricantes de alimentos adicionam enormes quantidades de açúcar, geralmente na forma de xarope de milho com alto teor de frutose, aos produtos que consumimos o dia todo, todos os dias, como bebidas e cereais, refrigerantes e lanches - até mesmo alimentos que você não esperaria, como espaguete, molho e manteiga de amendoim. Por exemplo, um minúsculo recipiente de iogurte com fruta no fundo tem mais açúcar do que uma barra de chocolate.



Agora, os cientistas nos dizem que o açúcar influencia diretamente nas células cancerosas. A quantidade que consumimos pode alimentar essas células ou matá-las de fome. Em um estudo conduzido no "MD Anderson Cancer Center" da Universidade do Texas, os pesquisadores alimentaram ratos com dietas ricas em açúcar e observaram que eles tinham uma incidência maior de câncer de mama e de pulmão.



O estudo sugere que uma dieta rica em açúcar pode contribuir para a formação de câncer. Também sugere que a dieta pode fazer diferença no tratamento de uma pessoa que já foi diagnosticada com câncer.

Uma sentença de morte



Fred Hatfield sabe disso em primeira mão. Em 2012, ele recebeu o que equivalia a uma sentença de morte, mas quatro anos depois, ele contou à imprensa dos Estados Unidos sobre as mudanças que lhe deram um novo sopro de vida.

A dieta cetogenética Então, Hatfield ouviu falar de uma dieta com baixo teor de açúcar, chamada dieta cetogênica, que pode reduzir o câncer em algumas pessoas. 

Sem nada a perder, ele tentou e, para seu espanto, funcionou. A recuperação de Hatfield não surpreendeu o Dr. Dominic D'Agostino. Sua equipe da Universidade do Sul da Flórida descobriu que ratos com câncer metastático altamente agressivo continuam vivos quando alimentados com uma dieta cetogênica.

E não são apenas animais de laboratório. D'Agostino obteve resultados semelhantes em humanos.



A dieta cetogênica significa sem açúcar e sem carboidratos ricos em amido, como pão e macarrão, que se convertem em açúcar. D'Agostino diz que as células cancerosas adoram açúcar e amido porque o câncer se alimenta da glicose desses alimentos.



Por outro lado, a remoção da glicose resulta em fome para as células cancerosas. A glicose também abastece nossas células saudáveis, mas se não estiver lá, essas células podem mudar para uma fonte alternativa de combustível chamada corpos cetônicos. As células cancerosas funcionam apenas com glicose. D'Agostino diz que a deficiência nas células cancerosas pode ser usada para derrotá-los.



Alimentação Limpa



Como os alimentos processados ​​contêm tanto açúcar e amido, as pessoas que seguem a dieta cetogênica tendem a cozinhar alimentos inteiros em casa a partir do zero.

Quando se trata de câncer, o açúcar é considerado o inimigo público número um. Evitá-lo pode levar à prevenção ou retardá-lo nas pessoas que lutam contra a doença.