Candidato a prefeito se nega a fingir ser gay Um candidato a prefeito no México deixou o partido após ser orientado a dizer que era gay para se beneficiar da cota LGBT.

Ernesto Bernal disse à imprensa local que o Partido Encontro Solidário (PES) havia condicionado sua candidatura à prefeitura da cidade de Tlaxcala a sua declaração de homossexualidade.

No último dia 15, Bernal foi à sede do partido buscar seus documentos para poder tentar o pleito por outro partido, mas o dirigente da legenda, Alejandro Martínez Hernandéz, se negou a lhe fornecer a documentação.

"[Alejandro Martínez Hernandéz] me disse ou sou mulher ou me declaro como gay para ter uma candidatura. Me insultou. Minha esposa reclamou e o filho dele começou a brigar", contou Bernal.

O PES se opõe ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e foi contra a proposta que estabeleceu cotas de diversidade no México. No entanto, quando implementadas, afirmou que iria cumpri-las.

No país, as eleições federais de junho serão as primeiras com cotas obrigatórias para LGBT.