Igrejas pedem oração pelo fim dos conflitos após morte de homem negro nos EUA Enquanto as tensões e os protestos continuam a aumentar no Brooklyn Center, Minnesota, EUA, por causa da morte de Daunte Wright, de 20 anos, atingido por uma policial, as igrejas locais estão pedindo orações e calma na tentativa de ajudar a comunidade a digerir sua dor.

“Apresento minhas condolências à família e amigos de Daunte Wright pela perda de seu filho, pai, irmão e amigo. Também tenho orado por seu repouso eterno, por sua família e por todos aqueles que o amavam. Daunte foi criado por Deus à sua imagem e semelhança e com um 'propósito definido' e lamentamos a perda de sua jovem vida ”, disse o arcebispo Bernard A. Hebda de St. Paul and Minneapolis em uma declaração na segunda-feira (12).

Wright foi baleado durante uma parada de trânsito pela policial veterana Kim Potter, 48. A polícia diz que o assassinato foi acidental . O chefe de polícia do Brooklyn Center, Tim Gannon, disse acreditar que Potter confundiu a arma dela com um aparelho para imobilização quando atirou em Wright enquanto ele resistia à prisão no domingo. Imagens da câmera corporal do incidente divulgadas na segunda-feira mostram que Potter gritou "Taser" (aparelho imobilizador) antes de disparar.

“Também estou orando pela policial do Brooklyn Center envolvida no tiroteio e por sua família e amigos. Suspeito que eles estejam sofrendo de uma maneira diferente ”, acrescentou Hebda em sua declaração.

“Embora as primeiras indicações apontem para o fato de o tiroteio ter sido acidental, incentivo a permitir que os investigadores do Bureau de Apreensão Criminal concluam uma investigação completa antes de chegar a qualquer julgamento pessoal sobre o que ocorreu”, advertiu. “Espero que nós, como comunidade, possamos fazer uma pausa e orar, especialmente durante este tempo de tensão já elevada devido ao julgamento de Chauvin . Sinto-me encorajado e inspirado pelos apelos pela paz que continuaram a vir da família de George Floyd. ”

Protestos estão ocorrendo no Brooklyn Center sobre o tiroteio desde domingo e têm atraído a atenção nacional quando o julgamento do ex-policial Derek Chauvin ocorre em Minneapolis, pela morte de George Floyd no verão americano passado.