Revoltado com igreja vazia, padre culpa comunistas: “bando de vagabundos” O padre Oscar Donizete Clemente, da Paróquia Imaculado Coração de Maria, em São José do Rio Preto (SP), atribuiu a proibição dos fiéis na igreja e as medidas de restrição aos "comunistas", além de chamar os políticos que adotaram as medidas de restrições de "bando de vagabundos". A revolta do padre foi gravada no dia 2 de abril e viralizou nas redes sociais.

“Não pode na igreja com todos os cuidados possíveis ter a presença do povo na celebração, porque na igreja se pega Covid. Nos ônibus lotados, nas ‘festaiadas’ que tem por aí, ninguém fala nada. Por outro lado, nossas autoridades religiosas que tem medo, incompetentes, não batem de frente com esses vagabundos. Abaixam a cabeça e dizem amém. Isso em âmbito católico, em âmbito evangélico”, disse.

“Por que isso está acontecendo? Por causa do partido comunista chinês. Este bando de vagabundo não quer mais que Deus esteja presente. Então vamos distanciar, afastar o povo de Deus. [...] Se a gente não reagir, se a gente não bater de frente com esses vagabundos políticos, o Brasil vai ser um país comunista.”

“É por isso que a igreja está desse jeito [...]. Do jeito que o partido comunista chinês deseja. Vamos continuar assim, nós de igreja, padres, bispos, pastores de igreja, vamos continuar com a boca fechada e vocês vão ver daqui 10 anos. Por isso a igreja está desse jeito... Se a gente não bater de frente com esses vagabundos políticos, o Brasil vai ser um país comunista”, afirmou em vídeo.