Livro retrata histórias reais sobre perseguição religiosa A liberdade religiosa é um pilar importante das democracias modernas. No entanto, a perseguição, a tortura e, muitas vezes, a morte de cristãos é uma aterradora realidade que persiste ainda no século XXI. De acordo com a Lista Mundial da Perseguição 2021, produzida pela Missão Portas Abertas, apenas entre 2020 e 2021, a morte de cristãos aumentou 60%, passando de 2.983 casos para 4.761, respectivamente.

O livro “Eu sou n: relatos de cristãos que enfrentam o extremismo islâmico”, lançado no Brasil pela editora Mundo Cristão, visa conscientizar as igrejas e os leitores sobre esse delicado tema.

A publicação foi organizada pela missão A Voz dos Mártires, instituição fundada pelo pastor Richard Wurmbrand, que existe desde 1967 com objetivo de servir às igrejas perseguidas ao redor do mundo. A obra apresenta histórias reais, lições de perdão, resiliência, amor ao próximo, fé e coragem.

“Qualquer pessoa que se posicionasse por Jesus no Iraque ocupado, qualquer um que escolhesse ser ‘n’, pagaria um alto preço. Sem aviso prévio, alguns cristãos foram arrastados para fora de seus lares e locais de trabalho por militantes armados — e nunca mais foram vistos.” (Eu sou n - A Voz dos Mártires, p. 11)

“Eu sou n” reúne fatos reais que aconteceram com cristãos da Nigéria, China, Malásia, Paquistão, entre outros países, durante os anos 2001 e 2015. Tais histórias são verdadeiros exemplos de fé e coragem diante do extremismo e da violência, e uma fonte de lições contundentes sobre superação e integridade em meio a situações difíceis.  

Sem promover qualquer discriminação entre religiões, o livro traz uma mensagem de esperança e incentiva o despertar dos leitores para se engajarem no combate à perseguição religiosa, a serem protagonistas na construção de um mundo em que haja paz, segurança e liberdade.