Nike encerra processo contra coletivo que usou sua marca para produzir o O coletivo de moda MSCHF, baseado no Brooklyn (EUA) e que está por trás da linha de “Tênis de Satanás” lançada em colaboração com o rapper Lil Nas X, resolveu um processo de direitos autorais movido pela Nike e se oferecerá para recomprar os tênis personalizados dos consumidores.

O Wall Street Journal relata que a Nike resolveu sua disputa legal com o coletivo de moda e arte de Nova York na semana passada. Os polêmicos tênis em questão são do modelo Nike Air Max 97 modificados, que incorporam gotas de sangue e tinta em uma bolha de ar.

Um total de 666 sugestivos calçados, com preço de $ 1.018 cada, esgotou em menos de um minuto no mês passado.

Os tênis são decorados com um pingente de pentagrama e uma referência a Lucas 10:18: “E ele lhes disse: 'Vi Satanás cair do céu como um raio.'”

A MSCHF oferecerá reembolso para quem quiser devolver os tênis de acordo com os termos do acordo, segundo a Nike.

“MSCHF concordou em iniciar um recall voluntário para comprar de volta quaisquer Tênis Satanás por seus preços originais de varejo, para retirá-los de circulação”, disse a Nike em um comunicado.

David Bernstein, advogado que representa a MSCHF, disse que a empresa estava "emocionada" com o resultado. 

“Esses tênis nunca foram para ganhar dinheiro. A MSCHF fez esses calçados para mostrar como a cultura de colaboração se tornou maluca ”, acrescentou Bernstein, observando que o tênis “parecia ser uma colaboração com Satanás ”.

A Nike decidiu mover o processo por não ter autorizado a modificação e comercialização de seu produto, que teve sua marca associada a grupos satânicos. Centenas de cristãos chegaram a boicotar a fabricante de materiais esportivos, achando que a Nike havia produzido o modelo inusitado.