China força cristãos detidos a passar por sessões de lavagem cerebral, diz relatório

A China tem uma longa história de perseguição e opressão às minorias religiosas,  principalmente aos muçulmanos . Os cristãos também têm sido alvos de violência, com  igrejas sendo destruídas.

Um  novo relatório  da Rádio “Free Asia” descreve graves abusos contra os direitos humanos que supostamente estão acontecendo com os cristãos agora, incluindo detê-los em “instalações de 'transformação' móveis e secretas para fazê-los renunciar à sua fé”.

Um cristão chinês, falando sob um pseudônimo para proteger sua identidade, disse à RFA que foi detido pelo "Departamento de Trabalho da Frente Unida" do partido comunista durante 10 meses após o governo ter conduzido um ataque à sua igreja.

Ele explicou que durante aqueles 10 meses em cativeiro, sofreu um tratamento horrível, alegando ter sido “espancado, abusado verbalmente e torturado mentalmente” pelas autoridades. “Eles usam métodos realmente dissimulados”, disse.

O  novo relatório da RFA  alega “sessões de lavagem cerebral no porão” para o 'crime' de participação em atividades da igreja.

Essas instalações de “transformação do pensamento” são usadas quando o infrator não fez nada para justificar a acusação de um processo criminal, então eles os enviam para ter seus pensamentos reconectados.

O denunciante disse que depois de suportar tanta tortura física e mental, começou a ter pensamentos de automutilação, incluindo suicídio.

Existem hoje cerca de 80 milhões de cristãos na China.