LinkedIn da folga de uma semana a trabalhadores para diminuir esgotamento mental A pandemia do novo coronavírus acelerou o processo de esgotamento de trabalhadores em todo o mundo. Mesmo aqueles que passaram a trabalhar em sistema home office não escaparam da sobrecarga de trabalho, intensificada pelo excesso de videoconferências, discussões sobre projetos em grupos de WhatsApp, inclusive nos finais de semana, feriados e outros horários extras, somados ao acúmulo de funções em razão do alto número de demissões. A grande maioria das empresas tenta produzir mais, com menos funcionários. Mas na contramão deste caminho sem volta em direção ao esgotamento mental está o LinkedIn. A empresa beneficiou seus colaboradores com uma semana de folga remunerada. A pausa passou a ser adotada desde a semana passada.

A orientação da companhia é que os empregados tirem este período para se desconectar e recarregar as energias.

“Queríamos ter certeza de que poderíamos dar a eles algo realmente valioso”, disse Teuila Hanson, diretora de pessoal do LinkedIn. “o que pensamos ser mais valioso agora é o momento de todos nós partirmos coletivamente”, completou.

Como quase todos estarão em seu período de recesso ao mesmo tempo, isso deve significar que a maior parte dos colaboradores não vai receber e-mails, notas de reuniões e solicitações de projetos inacabados durante as ausências. Atualmente, o LinkedIn tem cerca de 15.900 funcionários e a maior parte deles tirou folga entre 5 e 9 de abril.

A empresa manteve uma equipe de funcionários para setores mais sensíveis que não podem ficar desassistidos. No entanto, todos esses colaboradores poderão agendar suas folgas mais tarde.

O LinkedIn é uma das empresas que pretendem continuar em regime de trabalho remoto mesmo após a regressão da pandemia do novo coronavírus. Para isso, a companhia fez uma série de pesquisas com seus empregados sobre como eles gostariam que fosse o retorno à rotina de trabalho.

A partir dessas pesquisas, que foram feitas nos primeiros meses de isolamento, a empresa detectou que uma parcela significativa de seus colaboradores estava próxima de um esgotamento físico e mental.

“Acho que a realidade do peso da pandemia realmente cobrou seu preço”, declarou Hanson. “Foi quando vimos: ‘uau, há um esgotamento claro’ “.

Para diminuir esses efeitos, a empresa criou uma iniciativa para tentar tornar o ambiente mais leve e reduzir as pressões.

O projeto foi chamado de “LiftUP!” e inclui o treinamento de gerentes para detectar o nível de esgotamento dos membros de suas equipes, a adoção de calendários que incluem dias sem reuniões e recursos de saúde mental.