Conselho da Câmara do Rio discute afastamento de Dr. Jairinho

Preso preventivamente por 30 dias nesta quinta-feira (8), o vereador Dr. Jairinho  teve seu salário automaticamente suspenso pela Câmara do Rio de Janeiro, de acordo com o regimento interno da Casa.

Dr. Jairinho e Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, são suspeitos de participar da morte do garoto, de 4 anos de idade, no dia 8 de março.

Dr. Jairinho ficará automaticamente afastado do exercício do mandato caso tenha a prisão estendida, já que o regulamento da Câmara prevê essa medida a partir do 31º dia de ausência do vereador – e se o afastamento for maior do que 120 dias, um suplente assumirá a cadeira. 

Em paralelo a suspensão do salário, o Conselho de Ética da Câmara se reúne na tarde desta quinta para discutir o possível afastamento imediato do vereador. 

Os vereadores da comissão se reúnem às 18h na Sala das Comissões do Palácio Pedro Ernesto, sede da Câmara Municipal do Rio. Dr. Jairinho foi eleito para a Comissão de Ética no dia 4 de março, quatro dias antes da morte de Henry.

Na quarta-feira (07), o vereador foi afastado pelo seu partido, o Solidariedade, que se posicionou por meio de nota: “Aguardamos junto às autoridades competentes a apuração dos fatos com o processo de investigação e uma posição final da Justiça”.