Ministro da Educação israelense é perseguido por acreditar na “cura gay” Críticos liberais passaram a saída do ministro israelense da Educação, Rafi Peretz, após ele ter declarado ser a favor das “terapias de conversão” da orientação sexual dos homossexuais.

Líder de um partido religioso nacionalista, o ministro fez essa declaração no dia 13 de julho em uma entrevista a uma emissora de televisão do país. Desde então, virou alvo de israelenses que exigem inclusive sua saída do governo.

Ao ser perguntado se era possível mudar a orientação sexual de uma pessoa homossexual, Peretz, que também é rabino, respondeu: “Creio que é possível”.

O premier Benjamin Netanyahu declarou ter falado com o titular do ministério da Educação, “que afirmou que o sistema educacional israelense continuaria a aceitar todos os filhos de Israel como eles são, independentemente de sua orientação sexual”.

As “terapias de conversão” foram amplamente reconhecidas, inclusive pelo Ministério da Saúde de Israel, como não científicas e potencialmente prejudiciais para os jovens.

Mas isso não é o que acham oito ex-gays e ex-lésbicas que gravaram um vídeo, publicado no Vimeo, onde aparecem dizendo: “Sou uma fraude”. Eles afirmam que ao não reconhecer a existência de ex-homossexuais, a justiça da Califórnia desconsidera a possibilidade de mudança e viola, assim, a consciência e liberdade dos indivíduos.

Um destes jovens é Ken Williams, que por 20 anos se identificou como homossexual e hoje é pastor evangélico. Ele criou o projeto “Equipped to Love” (“Preparados para Amar”), que acolhe pessoas que desejam deixar a homossexualidade.

A igreja, segundo o pastor, é um dos poucos redutos onde homossexuais egodistônicos podem encontrar ajuda, já que os movimentos LGBTs tratam com desprezo essas pessoas.

O pastor Williams explica que “a transformação é possível porque Jesus morreu na cruz por nós. Por isso podemos viver uma nova vida”, ressaltando que o objetivo principal é se relacionar com Deus pelo que Ele é. Dessa forma, segundo o pastor, a mudança é gradual e espontânea.