Mais de 3 milhões de trabalhadores ainda não sacaram o PIS/Pasep Mais de 3 milhões de brasileiros ainda não resgataram o abono do PIS/Pasep, que pode chegar a um salário mínimo. Quem trabalhou com carteira assinada ou como funcionário de órgão público em 2019 ou antes disso e não sacou os valores tem até 30 de junho para fazer a retirada pela Caixa Econômica ou pelo Banco do Brasil.

O valor máximo a receber é de R$ 1.100, pago a quem trabalhou com registro ao longo de todo o ano-base. O menor pagamento previsto é de R$ 92, para quem trabalhou por apenas um mês dentro desse período.

Saques
Para saber quanto tem a receber e fazer a solicitação dos valores, o trabalhador deve encontrar o NIS (Número de Identificação Social) ou o NIT (Número de Identificação do Trabalhador) na carteira de trabalho ou no extrato do FGTS. Esse número pode ser solicitado também à Caixa, para quem tem registro em carteira, ou ao Banco do Brasil, para quem é servidor público.

O PIS, pago aos trabalhadores registrados em carteira, pode ser acessado e solicitado pelo aplicativo Caixa Trabalhador ou pelo site www.caixa.gov.br/abonosalarial. É possível ainda solicitar atendimento gratuito pelo telefone 0800 726 0207.

O dinheiro é transferido para a conta da Caixa Econômica em nome do beneficiário e pode ser movimentado pelo cartão do banco. Para quem não tem conta corrente na Caixa, é possível solicitar que o dinheiro seja transferido para a conta digital do aplicativo Caixa Tem, que tem sido usado para o auxílio emergencial.

Para o servidor público, o benefício pode ser acessado pelo site www.bb.com.br/pasep, pelo telefone 0800 729 0722 ou na agência do Banco do Brasil, via atendimento pessoal ou no caixa eletrônico. O banco tem incentivado o uso dos caixas eletrônicos para evitar aglomeração dentro das agências.

Mudanças
A partir de 2022, o pagamento do abono que era feito ao longo de todo o ano, será concentrado no primeiro semestre, segundo definiu o Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador) no dia 23 de março.