Bispo deixa denominação episcopal por ser contra celebração de casamento gay Um bispo da Igreja Episcopal que foi punido por se recusar a abençoar casamentos entre pessoas do mesmo sexo em sua diocese decidiu deixar a denominação protestante tradicional.

William H. Love, ex-bispo da Diocese Episcopal de Albany, nos Estados Unidos, foi punido no ano passado por se recusar a fazer cumprir uma resolução da Igreja ordenando a bênção de casamentos gays em todas as dioceses, incluindo aquelas que anteriormente se opunham à prática.

Em um comunicado divulgado nesta quarta-feira (31), Love explicou que deixará a Igreja Episcopal a partir de sexta-feira, 2 de abril, e planejando ingressar na Igreja Anglicana na América do Norte, uma denominação mais teologicamente conservadora.

“Como um episcopal de berço (com quase 30 anos de ministério ordenado como diácono, sacerdote e bispo), essa não foi uma decisão fácil, mas considerando tudo o que aconteceu nos últimos dois anos e as restrições colocadas sobre mim como um teologicamente conservador e bispo ortodoxo, acredito que é a decisão certa ”, escreveu Love.

O Bispo Presidente da Igreja Episcopal Michael Curry, líder da denominação, divulgou um comunicado em resposta ao anúncio, explicando que havia atendido ao pedido de Love.

Sem mencionar especificamente a questão do casamento gay, Curry continuou a argumentar que sua crença era que "como igreja, somos chamados, como Jesus disse uma vez, para ser 'uma casa de oração para todas as pessoas'”.

Em julho de 2018, a Convenção Geral da Igreja Episcopal aprovou a Resolução B012, que determinava que todas as dioceses deveriam abençoar as uniões entre pessoas do mesmo sexo - apesar de estarem em conflito com o padrão bíblico de casamento - mesmo aquelas onde a liderança objeta.

Embora a resolução permitisse que o clero se recusasse a realizar casamentos do gay, também exigia que os bispos que se opõem aos ritos deixassem outro bispo fornecer apoio pastoral para o casal do mesmo sexo, bem como o clero para a cerimônia.

Além da Diocese de Albany, a resolução impactou as dioceses de Dallas, Texas, Dakota do Norte, Springfield, Illinois, Tennessee, as Ilhas Virgens dos Estados Unidos, a Diocese da Flórida e a Diocese da Flórida Central.

Em novembro daquele ano, Love divulgou uma carta aberta declarando que não iria fazer cumprir a resolução em sua diocese, declarando que acreditava que Jesus Cristo “está chamando a Igreja a ter a coragem de falar sua verdade em amor sobre o comportamento homossexual - mesmo que não seja politicamente correto. ”

“As relações sexuais entre dois homens ou duas mulheres nunca fizeram parte do plano de Deus e são uma distorção do Seu desígnio na criação e, como tal, deve ser evitado”, afirmou Love na carta de 2018.