Rodrigo Maia desmente Greenwald Menos de 24 horas após ter seu vídeo divulgado em ato realizado pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio de Janeiro, em apoio ao militante norte-americano Glenn Greenwald, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), demonstrou arrependimento.

Em vídeo divulgado nesta terça-feira (30), Maia saiu em defesa da “liberdade de imprensa” do site Intercept, que está publicando uma série de reportagens com base em mensagens privadas de autoridades brasileiras obtidas ilegalmente e supostamente editadas.

Ao compartilhar o vídeo no Twitter, Greenwald disse que Maia “não apenas defendeu nossa liberdade de imprensa contra Bolsonaro e Moro, mas também implicou fortemente que Moro e Deltan cometeram crimes por vazamentos ilegais”.

Na tarde desta quarta-feira (31), o presidente da Câmara demonstrou insatisfação com a forma como Greenwald, que é editor e cofundador do Intercept, interpretou o seu vídeo.

“O Sr. Glenn Greenwald postou sua própria interpretação do vídeo que gravei. No vídeo, defendo EXCLUSIVAMENTE a liberdade de imprensa e o direito ao sigilo da fonte garantidos na Constituição”, disse Maia.

“Portanto, não aceito manipulação da verdade. O Sr. Glenn não tem o direito de interpretar o que eu disse de acordo com seus interesses”, completou o presidente da Câmara.