Hacker poderá pegar 70 anos de prisão por invasão a celulares

O hacker Walter Delgatti Neto, que afirmou ter invadido o celular do ministro Sergio Moro e de diversas autoridades, deverá pegar mais de 70 anos de prisão pelos crimes de “interceptação de comunicação” e “invasão de dispositivo de informática” a cada conta do aplicativo Telegram invadida por ele. As informações são do jornal O Globo.



Apesar de confessar o crime, a Polícia Federal descobriu que Delgatti tentou invadir mais telefones que os mencionados em seu depoimento, totalizando mais de mil aparelhos.



A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) determinou que as operadoras de telefonia corrijam uma brecha na rede que permitiu a invasão dos celulares, incluindo aparelhos do presidente Jair Bolsonaro. A medida é efeito prático das investigações da Operação Spoofing da Polícia Federal.



Desde segunda, já não é mais possível ligar para o seu próprio número de telefone. Era assim que Walter Delgatti Neto, o Vermelho, apontado como cabeça do grupo, afirmou que acessava a caixa postal dos usuários e, a partir daí, conseguia obter o código de ativação do serviço web do Telegram, aplicativo de troca de mensagens, que é enviado por mensagem de áudio.



A possibilidade de acessar a caixa postal ligando para o seu próprio número, agora bloqueada, não era considerada uma falha, mas um padrão da rede das operadoras, também utilizado em outros países.



Nos próximos dias, as empresas de telefonia também deverão reforçar ações para incentivar os usuários a adotarem senha para acessar a caixa postal. A campanha terá caráter educativo e será coordenada pela Anatel.