Sem Igreja Universal na programação, TVs entram em crise Emissoras de televisão menores que passaram os últimos anos com boa estabilidade financeira graças aos milhões arrecadados com a venda de horas de programação para a Igreja Universal estão em apuros, segundo o colunista Ricardo Feltrin, do UOL.

Segundo ele, o caso mais grave é o da TV Gazeta, que perdeu até 50% da verba que a Igreja colocava lá todos os meses. A Universal continua tendo sua programação exibida na Gazeta, mas de forma muito mais contida.

Conforme o site "Notícias da TV" informou no ano passado, a Universal decidiu cortar de 30% a 40% a verba para compra de espaços em outras emissoras de TV, que não a Record. A estimativa do corte é de R$ 120 milhões (ou mais).

Além dessas TVs, a igreja fundada por Edir Macedo tem horários na Band, e na RedeTV, as duas viram as receitas desabarem este ano.

A Gazeta está promovendo demissões em massa desde a semana passada.

De acordo com o colunista, não há nenhuma previsão de que o dinheiro voltará às emissoras, já que a Universal parece satisfeita apenas com seu canal arrendado, o 21, da Band.