Demi Lovato fala sobre estupro, abuso de drogas e socorro de Deus

O caminho das drogas trilhado pela cantora Demi Lovato vai virar série no YouTube. Com previsão de lançamento para o próximo dia 23 de março, “Dancing With The Devil” (Dançando com o Diabo, em tradução literal) trará detalhes de momentos difíceis vivido pela popstar. A cantora, de 28 anos, adiantou ao The New York Times alguns assuntos que serão abordados nos quatro episódios da série. Ela revelou que, em 2018, um traficante que que era seu fornecedor de heroína “a agrediu sexualmente e a deixou à beira da morte” durante uma noite em que sofreu uma overdose. Demi revela que todos os tropeços a fizeram buscar ajuda em Deus.

Demi também contou que perdeu sua virgindade aos 15 anos após ser estuprada pelo então namorado, um ator que ela preferiu não revelar o nome. Na época, a cantora se tornava conhecida por estrelar o filme “Camp Rock” (2008), sucesso do canal Disney Channel.

“Perdi minha virgindade em um estupro. Liguei para a pessoa [o ex-namorado] um mês depois e tentei consertar as coisas mostrando que estava no controle e tudo o que fiz foi apenas me fazer sentir pior”, contou a artista que passou a se culpar por não conseguir sair daquela relação. 

Demi contou que após vazar na mídia as fotos de Rihanna machucada por causa de uma briga com seu ex-namorado, o cantor Chris Brown, ela ficou com medo de se expor. 

“Fiquei muito desconfortável com a ideia de ter minha história exposta na imprensa e por pensar que as pessoas talvez não acreditassem em mim.”

Esse episódio traumático fez a cantora se automutilar e desenvolver um transtorno alimentar. “Minha bulimia piorou tanto que comecei a vomitar sangue”, disse. Na série documental, Demi também vai falar sobre o uso de drogas e problemas causados pela overdose, que já levou a artista a sofrer três derrames e um ataque cardíaco, além de desenvolver problemas em alguns órgãos, pneumonia, asfixia, danos cerebrais e sérios problemas de visão que a impedem de dirigir.

Outra revelação chocante de Demi: mesmo depois da overdose, ela teve uma recaída com a heroína. Ela disse que ligou novamente para o traficante que havia abusado dela para "tentar tomar o controle da situação de volta". 

Por algum motivo, esta recaída foi "a gota d'água" para Demi. "Só fez com que eu me sentisse pior. Foi o gatilho para que eu tomasse posse da minha vida de uma vez. Naquela noite, caí de joelhos e pedi ajuda a Deus", comentou.