Felipe Neto terá que se explicar com a polícia por ter chamado Bolsonaro de “genocida” O youtuber Felipe Neto afirmou nesta segunda-feira (15), que recebeu uma intimação da polícia para que responda por crime contra a segurança nacional por ter chamado o presidente Jair Bolsonaro de “genocida”. Segundo ele, o pedido foi feito pelo filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro, que também já pediu sua intimação por “corrupção de menores”.

Neto explicou porque chamou Bolsonaro de “genocida”. “Minha atribuição do termo “genocida” ao Presidente se dá pela sua nítida ausência de política de saúde pública no meio da pandemia, o que contribuiu diretamente para milhares de mortes de brasileiros. Uma crítica política não pode ser silenciada jamais!”, afirmou o youtuber.

Em novembro do ano passado, Felipe Neto foi indiciado pela Polícia Civil do Rio por divulgar material impróprio para crianças e adolescentes, sem limitar a classificação etária dos vídeos em seu canal no YouTube.

Na sexta (12), nas redes sociais, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) anunciou que iria processar o youtuber Felipe Neto e a atriz Bruna Marquezine por “calúnia”.

Segundo a publicação do filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a atriz e o youtuber cometeram crimes contra o chefe do Executivo. No Instagram, Carlos escreveu o artigo 138 do Código Penal, que diz: “Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime: Pena – detenção, de seis meses a dois anos, e multa. § 1º – Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.” No postagem, no entanto, o vereador não detalhou qual teria sido a falsa imputação, que hoje Felipe Neto revelou.