Para Bolsonaro, esquerdistas mataram o pai do presidente da OAB Enquanto cortava o cabelo em transmissão ao vivo pela internet nesta segunda-feira (29), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não foram os militares que mataram o pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil(OAB), Felipe Santa Cruz. Bolsonaro disse que Fernando Santa Cruz, integrante do grupo Ação Popular (AP) e desaparecido durante a Ditadura Militar, teria sido assassinado por "justiçamento da esquerda" (prática em que militantes julgam e eliminam pessoas traidoras de movimentos revolucionários).

Mais cedo, o presidente havia criticado o líder da OAB e afirmado que, se Felipe Santa Cruz quisesse, poderia dizer como o pai desapareceu. A sugestão fez com que Santa Cruz decidisse interpelar Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF), após divulgar uma nota em que o chama de cruel.

O presidente afirmou ainda que, pelas informações que teria recebido, integrantes da Ação Popular no Rio de Janeiro teriam sido responsáveis pelo desaparecimento de Fernando Santa Cruz, que pertencia ao grupo em Recife.

Em 2011, em uma palestra na Universidade Federal Fluminense (UFF), quando ainda era deputado federal, Bolsonaro já havia dito que os militares não eram culpados pela morte de Fernando Santa Cruz.