Entrevista de Harry e Meghan repercute e pai da duquesa desmente acusações contra família real

Brigas de família não acontecem apenas entre os simples plebeus. A realeza também tem seus chamados “barracos”. A série The Crown (A Coroa) da Netflix mostrou em quarto temporadas uma crônica da vida da Rainha Elizabeth II dos anos 1940 aos tempos modernos. Um drama biográfico que revelou intrigas pessoais, romances e rivalidades políticas entre os moradores do Palácio de Buckingham. E se para muitos o ápice da série foi o casamento entre o príncipe Charles e a princesa Diana, o príncipe Harry e a duquesa Sussex, Meghan Markle, mostraram esta semana em entrevista à Oprah Winfreu que se depender deles a série poderá ter muitas outras temporadas com grandes revelações.

Na entrevista com a mais reverenciada apresentadora de todo o mundo, Meghan revelou que a família real britânica perpetua mentiras contra ela. Uma resposta às investigações sobre as acusações de que a duquesa teria intimidado três funcionários da casa real.

Harry se mostrou aliviado por ter desatado os laços que ainda o ligavam à Coroa, lembrando o passado de sua falecida mãe.

“Estou muito aliviado e feliz por estar sentado aqui... com minha esposa ao meu lado”, diz ele. “Porque eu não posso imaginar como deve ter sido para ela (Diana) passar por esse processo sozinha, tantos anos atrás”. Não é a primeira vez que o príncipe faz uma conexão entre Meghan e Diana – particularmente em termos de perseguição da mídia à sua mãe morta aos 36 anos, em 1997, em um acidente de trânsito, em Paris, após ser perseguida por paparazzis.

Markle, que é afro-americana, disse que o príncipe revelou as preocupações de sua família sobre o tom de pele do primeiro filho do casal, Archie, bem como a segurança a que ele teria direito, antes de seu nascimento em 6 de maio de 2019.

Ela chegou a dizer que teve pensamentos suicidas enquanto estava ligada à família real.

"Eu simplesmente não queria mais estar viva. E esse era um pensamento constante, muito claro, real e assustador".

Harry disse que ele não teria se afastado da família se não fosse por Meghan, porque "estava preso, mas não sabia que estava preso". Ele disse ainda que a companheira o salvou.

Em fevereiro, Harry e Meghan romperam totalmente os laços profissionais com a família real ao dizer à rainha Elizabeth II que não voltarão a trabalhar como membros da monarquia.

O casal espera a chegada de seu segundo filho, uma menina.

Pai desmente filha

No entanto, os problemas não são apenas da parte do marido, Meghan também tem um pai que lhe traz problemas. Thomas Markle -- que não fala com a filha desde o seu casamento com o príncipe Harry em 2018 -- disse em entrevista ao programa de televisão Good Morning Britain que o casal se excedeu na entrevista à Oprah.

De acordo com Thomas, não há racismo na coroa, mas sim em Los Angeles, nos Estados Unidos.

"Eu tenho grande respeito pela realeza e não acredito que a família real britânica seja completamente racista. Eu não acho que a Grã-Bretanha é racista, eu acho que Los Angeles é racista, a Califórnia é racista, mas não acredito que a Grã-Bretanha seja", disse.

Thomas também argumentou que o casal não deveria ter se manifestado enquanto o príncipe Philip, avô de Harry, está internado em um hospital na Inglaterra.