“Igreja é essencial”, dizem evangélicos em carreata contra fechamento de igrejas em PE Alguns estados reconheceram as atividades religiosas como essenciais e, por isso, igrejas têm a permissão de realizar cultos presenciais em locais onde há medidas restritivas desde que obedecidas as orientações das autoridades de saúde. Mas este não é o caso de Pernambuco, onde igrejas e outros templos religiosos só podem abrir em determinado período.

No domingo (7), líderes evangélicos chegaram a promover a carreata Igreja É Essencial. O protesto foi contra o decreto estadual que restringiu o funcionamento dos templos. Até 17 de março, as atividades não essenciais não podem funcionar das 20h às 5h durante a semana, e ficam proibidas nos sábados e domingos.

Na última sexta-feira (5), lideranças católicas também realizaram um protesto em frente ao Palácio.

O deputado Estadual Pastor Cleiton Collins (PP) deu entrada na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) em um Projeto de Lei que classifica a Igreja como serviço essencial no Estado. O PL está em tramitação nas comissões da Casa legislativa. Para o autor do Projeto, as Igrejas têm um papel importante na sociedade.

"Ela sempre atuou em todos os momentos da vida das famílias e principalmente agora no tempo da calamidade. É ela que está ali também como o pronto socorro da alma, da mente, onde muitas pessoas estão instáveis, entrando em depressão. O papel da Igreja neste tempo de pandemia é muito importante e não pode parar. Ela deve estar junto com todos os serviços essenciais trabalhando como um hospital da alma", disse Collins, em comunicado.