Cristãos cantam hinos antes de serem presos em frente à clínica de aborto

Um grupo de cristãos se reuniu em frente a uma clínica de aborto no estado do Tennessee para cantar hinos com o objetivo de resgatar as crianças da morte. O esforço, no entanto, foi respondido com ação da polícia, que prendeu integrantes do grupo.

A manifestação foi organizada pelo pastor Chet Gallagher em frente à entrada da clínica de aborto Careafem, que fica na cidade de Mount Juliet. De acordo com o pastor Chet, “muitas mulheres foram embora da clínica” depois que “conselheiros transmitiram amor e se colocaram prontos para ajudá-la”. “Uma outra mãe decidiu que não seguiria com o plano de matar seu bebê”, escreveu o pastor em seu perfil no Facebook.

Os manifestantes chegaram a bloquear as portas da clínica, mas a polícia de Mount Juliet foi ao local e prendeu os que se recusaram a deixar o local. No grupo, estava Eva Edl, sobrevivente do holocausto nazista, que comparou as situações:

“Eu gostaria que boas pessoas tivessem colocado seus corpos na frente daqueles trens [que levavam judeus a campos de concentração nazistas] e implorassem por nossas vidas, mas eles estavam com muito medo para agir. Eu sei, se apenas alguns o fizessem, eles seriam superados. Mas se milhares tivessem ido à cena, eles poderiam ter mudado a cultura” – disse Eva, que concluiu que “as clínicas de aborto são os campos da morte dos Estados Unidos”.

De acordo com um comunicado da polícia de Mount Juliet, oito pessoas foram presas por “invasão de privacidade”, enquanto quatro pessoas foram também enquadradas por “contribuir com delinquência de menor potencial”. Segundo o capitão Tyler Chandler, “eles foram pacíficos e cooperativos”.

A polícia, no entanto, não se pronunciou sobre a violência contra os bebês que ocorre dentro da clínica.