Neymar se livra de indiciamento por estupro A delegada Juliana Lopes Bussacos, titular da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, concluiu nesta segunda-feira (29) o inquérito em que investigava a denúncia de estupro e agressão de Najila Trindade contra Neymar. A polícia de São Paulo decidiu não indiciar o jogador.

A investigação havia sido estendida por mais 30 dias, após pedido da própria delegada no dia 1º de julho. Ela solicitou as imagens das câmeras de segurança do hotel em Paris onde Najila Trindade e Neymar se encontraram, além do prontuário da consulta com o ginecologista da modelo. Os pedidos da delegada não foram atendidos, e ela decidiu encerrar a investigação mesmo assim.

“Algumas diligências que a delegada de polícia solicitou só poderão ser cumpridas com ordem judicial. Por isso ela fez o pedido neste momento. Ela não conseguiu requerer diretamente. Então dependemos das respostas dos órgãos solicitados. Não dá para saber se isso acontece em 30 dias”, disse a promotora de enfrentamento à violência doméstica Estefânia Paulin.

Já o Ministério Público solicitou cópia do inquérito da acusação de extorsão por parte do ex-advogado de Najila, o inquérito do suposto furto no apartamento da modelo e das imagens íntimas da mulher expostas por Neymar na internet. Todos os pedidos foram atendidos.

As promotoras do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid) ainda devem se manifestar; podem oferecer denúncia, arquivamento ou novas diligências. O MP tem até 15 dias para também se manifestar.

A delegada concederá entrevista nesta terça-feira (30) para explicar o caso. Também estarão na coletiva o diretor do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap), Albano David Fernandes, e o delegado titular da 6ª Seccional, Cosmo Stikovics Filho.