Ministério da Saúde vai comprar 138 milhões de doses das vacinas da Pfizer e Johnson O Ministério da Saúde oficializou, em edição extra do Diário Oficial da União desta quarta-feira (03), a intenção de comprar as vacinas contra a Covid-19 produzidas pelas empresas Janssen e Pfizer.

As portarias preveem a compra sem licitação de 38 milhões de doses da vacina da Janssen, braço farmacêutico do grupo Johnson & Johnson, e 100 milhões de doses da vacina da Pfizer. O prazo de entrega das vacinas é até dezembro deste ano.

O ministro reforçou que o governo trabalha para que, até o fim do ano, todos os maiores de 18 anos que puderem, sejam vacinados. “Enquanto isso, alerto sobre a importância de que todos mantenham os cuidados preventivos individuais para diminuir os riscos de ficar doente”.

A compra foi negociada depois que projeto de lei aprovado na Câmara dos Deputados facilitou a compra de vacinas com autorização para uso em caráter emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por estados, municípios e por empresas.

Mais cedo, o ministro da Saúde Eduardo Pazuello esteve em reunião com representantes dos laboratórios. “A proposta de cronograma de entrega é uma boa proposta e, a partir de agora, a gente segue para fechar o contrato o mais rápido possível. Agradeço à equipe da Pfizer que está à disposição aqui e vamos juntos cumprir essa missão de vacinar o povo brasileiro”, afirmou Pazuello, sobre a reunião com a Pfizer.

Recorde de mortes
O ministro ainda disse em vídeo que a quarta-feira foi um dia difícil para os brasileiros.

“Atingimos um grave momento da pandemia, as variantes do corona nos atingem de forma agressiva. A todos vocês quero dizer que estamos trabalhando firme para mudar esse quadro”.

O país registrou entre terça e quarta, 1.910 mortes por covid-19, maior número de mortes pela doença em um dia.