Cerca de 300 meninas sequestradas na Nigéria ganham liberdade Todas as 279 estudantes que haviam sido sequestradas de uma escola no noroeste da Nigéria na sexta-feira (26) foram libertadas.

Em seu perfil no Twitter, o presidente do país africano, Muhammadu Buhari, expressou hoje (02) "alegria avassaladora" com o resgate das jovens. "Estou satisfeito que sua provação tenha terminado com um final feliz, sem nenhum incidente", escreveu.

Buhari ainda disse que o governo está trabalhando para "acabar com esses incidentes de sequestros", que são recorrentes na Nigéria, especialmente em sua porção norte, onde há forte atuação de milícias armadas e grupos jihadistas.

O caso mais famoso ocorreu em 2014, quando quase 300 alunas de uma escola em Chibok foram sequestradas pela organização terrorista Boko Haram. Mais de 100 delas seguem desaparecidas, e acredita-se que algumas tenham sido forçadas a se casar com jihadistas, enquanto outras podem ter sido usadas em atentados suicidas.

O sequestro da última sexta (26) ocorreu em uma escola secundária de Jangebe, no noroeste da Nigéria. Inicialmente, as autoridades locais disseram que 317 garotas haviam sido levadas pelos criminosos, mas depois reduziram o número para 279.

O rapto não foi reivindicado por nenhum grupo específico e, segundo a imprensa local, a libertação teria sido possibilitada pela ajuda de bandidos arrependidos".