Pastor comete suicídio em ato de desespero contra regime comunista chinês O pastor de uma igreja vigiada pelo Estado Comunista Chinês cometeu suicídio em um ato de desespero por conta das restrições religiosas do governo.

O reverendo Song Yongsheng, que liderou uma igreja na província chinesa de Henan, se jogou do telhado depois de dizer que foi “um fracasso” tentar trabalhar com o governo, informou FaithWire.

O governo chinês aplica políticas restritas em torno da prática da religião e exige que qualquer igreja que funcione seja registrada no Departamento de Assuntos Religiosos, o que efetivamente as mantém alinhadas com os ideais comunistas.

De acordo com a China Aid , Song foi o presidente do Movimento Patriótico dos Três Autos de Shangqiu (TSPM) e o presidente do Conselho Cristão da China (CCC) – as organizações oficiais do governo que regulam o coletivo de igrejas aprovado pelo estado.

Em sua nota de suicídio, o pastor Song disse que tentou convencer as autoridades chinesas a abrir um caminho para o movimento de todas as igrejas, a fim de melhorar o bem-estar das igrejas, sem registro ou não, e fazer a ponte entre os dois. Esse objetivo, disse ele, tornou-se impossível de ser alcançado, com as autoridades permanecendo comprometidas em criminalizar os cristãos que se recusaram a se curvar diante do governo.

O controle constante, a opressão e a falta de cooperação demonstrada pelo regime comunista o deixaram “exausto”, escreveu Song.

Segundo a Asia News, todas as informações sobre a morte do pastor foram censuradas pelo governo chinês. “O funeral do pastor era controlado por agentes do governo, que ao mesmo tempo censuravam qualquer referência ao homem nas redes sociais”, observou o relatório, acrescentando que o corpo do ministro foi imediatamente cremado após sua morte.

Sabendo que eles seriam despojados de sua verdadeira identidade cristã, imensas faixas de igrejas cristãs se rebelaram contra o controle do governo e foram forçadas a se tornar “clandestinas”.

Essas congregações ilegais enfrentam diariamente a opressão e a perseguição por simplesmente crer em Jesus. Uma dessas igrejas é a Early Rain Covenant, em Chengdu, Sichuan.
O governo tem tentado implacavelmente impedir as atividades do ministério da igreja, intimidando, prendendo e até mesmo torturando fiéis. Ainda assim, eles se recusam a deixar de adorar. O pastor sênior Wang Yi enfrenta um longo conjunto de acusações e atualmente está detido sem direito ao pagamento de fiança.